A imprensa se revoltou com a discussão de Felipão com um dos profissionais, que insistia em causar um tumulto no grupo, como sempre. Sem pestanejar, Felipão chamou o repórter de palhaço e disse que a imprensa está fazendo uma palhaçada com os assuntos relacionados ao Palmeiras.

Mas, os coitadinhos se revoltaram contra a atitude de Felipão e protestaram, colocando narizes de palhaços enquanto aguardavam a chegada do treinador na Arena Barueri. Alguns deles ainda acreditavam que Felipão daria entrevista coletiva após o jogo. Vai nessa!

A ferida agora ficou exposta. No jogo diante do Goiás, a torcida xingou a imprensa de tudo como foi jeito, e os repórteres que passavam no gramado próximo aos torcedores eram ofendidos. Foi esse clima que a imprensa mesmo criou e que estava demorando para estourar. As provocações contra o Palmeiras, sua torcida e a história do clube são publicadas todos os dias nos jornais e nos pífios programas de televisão.

Agora, os jornalistas vão sofrer bastante ao cobrir partidas do Palmeiras. A própria assessoria de imprensa, magistralmente, está publicando vídeos de Felipão após os jogos ao invés de usar o artifício da imprensa e mover milhões de reais em audiência, sendo que os mesmos, na sua imensa maioria, são corintianos e sãopaulinos.

Felipão, estamos contigo. A Mídia Palestrina vai apoiá-lo até o fim contra toda essa medíocridade da imprensa. Não se retrate: você apenas falou a verdade, e falou o que mais de 14 milhões de pessoas gostaria de falar na cara desses palhaços!

Comentários

comentários