De: UOL Esporte

Se o cansaço já era motivo de preocupação no Palmeiras, ele só tente a crescer a partir de agora. A equipe tem pela frente dois confrontos decisivos que podem selar o rumo do clube alviverde. Consequentemente, também podem expor o desgaste exacerbado do time na reta final da temporada.

Primeiro, o Palmeiras disputa a vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana contra o Universitario de Sucre, na Arena Barueri. Depois, volta a campo no Pacaembu diante do arquirrival Corinthians para retomar o embalo no Brasileiro, no próximo domingo.

“É uma semana diferente, mas agora temos que pensar na Sul-Americana. Depois, o foco será todo do Corinthians”, comentou o volante Marcos Assunção antes de lamentar a maratona de jogos no fim do ano.

“O meu corpo sente muito porque já tenho 34 anos”, brincou. “Fico tão pouco em casa que já pareço um estranho. É um sacrifício muito grande, mas por enquanto está valendo porque estamos ganhando. Não posso reclamar, pois faço o que gosto”, completou.

Desde o dia 8 de agosto, o Palmeiras não sabe o que é ter folga durante a semana. De lá para cá, o time alviverde entrou em campo 21 vezes, com média de um jogo a cada três dias.

Nesta semana não será diferente. Enquanto a maioria dos times da Série A terá tempo para se preparar para a rodada do fim de semana, o Palmeiras joga pela sobrevivência na Copa Sul-Americana. A equipe encara o Universitario de Sucre para selar a vaga nas quartas de final.

Já no próximo domingo, o Palmeiras tem pela frente o clássico contra seu maior rival pelo Brasileiro. O confronto também tem grande importância para duas equipes já que ambas disputam diretamente uma vaga no G-4 do Nacional.

“São jogos, viagens. Tudo isso influencia no rendimento. Viemos da Bolívia e tivemos só um dia para treinar. Ninguém aguenta assim”, reclamou o técnico Luiz Felipe Scolari, lembrando da volta do Palmeiras de Sucre na semana passada.

O problema é que o elenco alviverde tem começado a sentir a maratona. Recentemente, o time perdeu dois titulares por lesões musculares: Valdivia e Vitor, que se juntaram a Marcos e Ewerthon no departamento médico do clube.

Comentários

comentários