Palestrino de sangue verde. Estamos tristes nessa noite. Muito tristes, por sinal. A derrota para o Goiás expôs sérios problemas de administração no clube. Nem tanto pelo futebol apresentado porque, honestamente, Tadeu, Luan e Dinei foram contratados e aceitaram jogar.

A passagem do Palmeiras para a final da Copa Sulamericana era um sonho, mesmo contra um time pequeno e rebaixado nas semis. Barco pequeno não chega longe. E infelizmente o Palmeiras se apequenou, por diversos motivos. Um dos principais motivos é a mentalidade minúscula de diversos “deretores” do Verdão. Ter carteirinha é muito legal. Se apresentar como diretor é muito legal. Mas trabalhar pelo clube, nenhum diretor trabalha.

Não quero aqui culpar a atual diretoria. Pescarmona entrou agora, Palaia é um palmeirense nato. Não merecem severas críticas nossas. Mas novamente perdemos ao vivo na TV e principalmente transmitido para todo Brasil. O torcedor não quer saber quem comanda, se é esse ou aquele. O Palmeiras deu mostras de que poderia avançar e ser Campeão, mas faltou competência e preparo. Também não por culpa de Felipão, que não tem culpa das tralhas que encontrou quando chegou. Lógico que o treinador jamais iria achincalhar os medonhos que jogam no Palmeiras, até por conta da ética que o treinador tem e pela sua bagagem.

A política do Palmeiras faz mal. Palaia não tem condições nem de andar, quiçá ser presidente do Palmeiras. Tem diretores no clube que não tem mais noção da vida – nada contra idosos – e estão comandando áreas importantes. Cyrillo, responsável pelas obras da Arena, fala cuspindo e dorme quando concede entrevista. Belluzzo é um bobão, nunca colocou o pinto na mesa, sempre preferiu se esconder. Será que não chegou a hora de uma renovação? Será que ano pós ano teremos os mesmos dirigentes, sem ambição e nem qualidade?

Estamos batendo nessa tecla faz tempo. Mas poucos palmeirenses querem se tornar sócios do clube. Sabe o que aconteceu e acontece? Os mesmos imbecís tomam conta do clube há anos, enquanto os verdadeiros palmeirenses nada fazem. Esse Conselho Gestor é uma piada. Corcione é um puxa saco, fofoqueiro. Raiola só tem pose de bom gestor, porque com uma HP12C na mão não sabe nem fazer cálculo de PMTs. Os outros melhor nem comentar…

Depois de um desastre como esse, a pesquisa das torcidas começa a ser bem óbvia: o Palmeiras está perdendo torcida, sim. E não é por menos: vergonha atrás de vergonha. O ano de 2010 é mais um ano para se apagar da memória, para se esquecer. Aliás neste século todos os anos são para se esquecer.

Precisamos manter a calma, levantar a cabeça e aprender com erros, mesmo que esses erros sejam persistentes e tendem a não irem embora. O Palmeiras é muito grande e só depois de uma derrota como essa é que percebemos.

Até 2011.

Comentários

comentários