Com uma equipe recheada de reservas, Palmeiras perde de novo para o Atlético-GO e pelo mesmo placar: 3 a 0

Outra paulada do “poderoso” Atlético-GO. A sorte é que o Campeonato que estava em disputa de nada mais vale para o Verdão. Aliás, estão fazendo de tudo para a taça nacional acabar no Parque São Jorge, depois do absurdo cometido por Sandro Meira Ricci, no Pacaembú.

O Palmeiras, recheada de reservas, jogou pensando no Goiás, pela primeira partida da semifinal da Copa Sulamericana. O time de Felipão veio num 3-5-2 perigoso, já que os zagueiros palmeirenses davam várias mostras de que estavam afim de falhar. O Atlético rapidamente tomou as ações da partida e começou um verdadeiro bombardeio aéreo em cima do goleiro Bruno.

Numa dessas brincadeiras, Agenor subiu tranquilo e cabeceou. A bola escorou na trave e voltou. Com Bruno batido no chão, Gilmar mandou para as redes. O detalhe é que existiam cinco atletas de verde próximo, e ninguém fez nada para impedir.

Após o gol, o time começou a jogar no susto. Patrick era um dos responsáveis pela armação e sofria bastante. Dinei e Ewerthon, isolados no ataque, esperavam alguma coisa que realmente não aconteceu. Vitor sempre muito mal, não conseguindo um drible ou um lançamento correto.

No intervalo, Renê Simões quis avançar a equipe sem medo. Afinal, a vitória era primordial para tirar a equipe da zona da degola e tentar afastar o fantasma da Série B. Marcão entrou no lugar de Josiel e deu mais velocidade ao ataque goiano. O resultado veio logo: após bobeada de Danilo, Robston foi e deu um bico. A bola foi no cantinho, sem chances de defesa.

Danilo acabou sendo expulso em jogada na lateral. Logo depois, Robston apareceu livre e mandou brasa no gol de Bruno, passando a régua e colocando mais uma vez uma goleada frente ao Palmeiras, muito fraco tecnicamente.

Ficou visível que tanto jogadores quanto comissão técnica estavam com a cabeça voltada para a Copa Sulamericana. O nosso adversário, Goiás, acabou levando gol de empate no final do Fluminense e praticamente carimbou o passaporte para a Segunda Divisão do Campeonato Nacional, em 2011. Face o exposto, é bem provável que o time goiano tente chegar na final da competição continental para tentar amenizar um pouco a sofrida queda. É nessa hora que entra a tarimba de Felipão, que deve formar um time jogando pouco, mas segurando o resultado ou até mesmo tentar vencer por um gol de diferença.

 
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 3 x 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia
Data: 14 de novembro de 2010, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Marrubson Melo de Freitas e Adnilson da Costa Pinheiro (ambos DF).
Cartões Amarelos: Robston (Atlético-GO); Danilo (Palmeiras)
Cartão Vermelho: Danilo (Palmeiras)

GOLS: Atlético-GO: Gilson, aos 30 minutos do primeiro tempo, e Robston, aos 9 e 19 do segundo tempo

ATLÉTICO-GO: Márcio; Adriano, Gilson, Jairo e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Robston e Renatinho (Elias); Juninho (Anaílson) e Josiel (Marcão)
Técnico: René Simões

PALMEIRAS: Bruno; Vitor, Danilo, Leandro Amaro e Fabrício; Pierre, Márcio Araújo (Jean), Luís Felipe e Patrik; Ewerthon (Tadeu) e Dinei (Bruno Turco)
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Comentários

comentários