Palmeiras vence o Atlético por 2 a 0 e está nas semifinais da Sulamericana. Torcida lotou e apoiou o time do começo ao fim

Vitória épica. Empurrado pela torcida, o Palmeiras não cometeu erros, fez o “arroz e feijão” e venceu o Atlético Mineiro por 2 a 0. Com o resultado, o Verdão agora espera por Goiás ou Avaí que se enfrentam nesta quinta-feira. O curioso é que ambas as equipes estão na zona de rebaixamento do Brasileiro.

O jogo

A partida começou com o Palmeiras pressionando. Valdívia tentava criar, e Kleber tentava se distanciar dos zagueiros. A zaga palmeirense estava atenta ao rápido Neto Berola, que tentava cair pelas pontas. Mas a eficiente zaga não permitiu que o baixinho penetrasse.

Em lance isolado, Valdívia recebeu e passou a bola para Tinga. O meia chutou para fora. Na hora do passe, o chileno colocou a mão na coxa esquerda e preocupou os médicos do Palmeiras. O meia ainda tentou alongar o músculo, mas as dores aumentaram. Lincoln entrou no seu lugar. Desolado no banco, Valdívia chorou e se mostrava muito abatido com a alteração forçada.

Sem Valdívia e com Lincoln apagado, o Palmeiras tentava outras oportunidades. Aos 18 minutos, escanteio para o Palmeiras. Como sempre, Marcos Assunção enxugou a bola e bateu. Forte e com curva, a bola desviou no no zagueiro atleticano e morreu nas redes. Mas o juiz assinalou gol olímpico. Merecido! 1 a 0 Verdão.

O Palmeiras tentava cadenciar a partida. O Atlético, por sua vez, queria pressa e tentava pressionar o time alviverde. Marcando no ataque, o Palmeiras impedia o Atlético de sair jogando e contou com muitos erros da zaga. Antes do final do primeiro tempo, os mineiros tiveram uma chance incrível. Após fraca saída de Deola do gol, Fabiano rebateu. A bola veio forte e raspou o travessão.

Os dois times vieram sem alteração na segunda etapa. O técnico Dorival Junior instruiu sua equipe para apertar e atacar o Palmeiras. Mas faltou qualidade na finalização. A zaga do time paulista fez uma partida perfeita, evitando falhas e erros crassos.

Aos 33 minutos, após rápido contra ataque, Tinga passou para Luan, que teve tempo de dominar, adiantar um pouco e chutar rasteiro, no cantinho. Delírio da torcida palestrina no Pacaembú: 2 a 0 Palmeiras.

Foi o golpe de misericórdia já no combalido Atlético. Nesta quinta-feira sairá o adversário das semifinais do Palmeiras: ou Goiás, ou Avaí.

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 10 de novembro de 2010, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Renda: R$ 762.160,00
Público: 35.985 espectadores
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Brasil)
Assistentes: Altemir Hausmann e Dibert Pedrosa (ambos brasileiros)
Cartões amarelos: Tinga, Luan e Gabriel (Palmeiras); Neto Berola e Jairo Campos (Atlético-MG)
Gols:
PALMEIRAS: Marcos Assunção, aos 26 minutos do primeiro tempo; Luan, aos 34 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS: Deola; Márcio Araújo, Danilo, Maurício Ramos e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Valdívia (Lincoln e depois Dinei); Kleber e Luan (Pierre)
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Jairo Campos, Cáceres e Lima; Diego Macedo (Nikão), Alê (Serginho), Fabiano (Diego Tardelli), Edison Mendez e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno
Técnico: Dorival Junior.

Comentários

comentários