Em jogo com vários tumultos e problemas, Palmeiras arranca empate no final do segundo tempo no Morumbi. Adriano fez o gol.

São Paulo e Palmeiras se enfrentaram no Morumbi na tarde deste domingo. O jogo começou por volta de uma hora mais tarde por conta das fortes chuvas que caíram na cidade de São Paulo. A intensidade das tempestades foi tão grande que a drenagem do estádio sãopaulino não aguentou, e as laterais ficaram cheias de água.

O Palmeiras começou melhor a partida. Kleber acabou ficando um pouco isolado, mesmo com Luan apoiando. Mas o volante Marcos Assunção assustava o goleiro e a zaga do São Paulo.

Os tricolores, por sua vez, abusaram muito das faltas. Tanto Valdívia quanto Kleber foram literalmente perseguidos em campo – e com maldade. Na primeira etapa, o juiz só soltou um amarelo para Miranda.

Lucas e Fernandinho acabaram ganhando alguns espaços, principalmente pelas laterais. Os volantes palmeirenses foram orientados por Felipão para fazer uma marcação mais forte em cima dos dois sãopaulinos, mas mesmo assim não foi o bastante. Fernandinho recebeu e caminhou. Danilo tentou marcar, mas o atacante do SP conseguiu levar um pouco mais para o meio e acertou um grande chute, sem chances para Deola. 1 a 0 São Paulo.

Assim que o SP abriu o placar, a luz do estádio do Morumbi acabou. O juiz deu mais 20 minutos, e a bola voltou a rolar, mas sem grandes novidades ainda na primeira etapa.

Para o segundo tempo, apenas uma alteração no Palmeiras: sai Danilo, com cartão amarelo, e entra Leandro Amaro. A alteração surtiu efeito e o Palmeiras começou a ter uma marcação mais serrada, mais em cima do São Paulo. Porém, nos primeiros 25 minutos, os tricolores quase abriram vantagem maior.

Felipão então decidiu colocar Adriano no lugar de Luan, e o time finalmente começou a melhorar. O toque de bola foi outro e o Palmeiras começou a distrinchar o jogo, virando a partida e envolvendo todos os setores.

Adriano também foi responsável pela expulsão de Alex Silva. O zagueiro sãopaulino cometeu falta e depois foi tirar satisfação. Malandro, Adriano caiu no chão e o juiz acabou expulsando.

Mesmo com um a menos, o São Paulo desenvolvia um bom futebol. O Palmeiras começou a explorar mais Valdívia e Kleber, e o setor de marcação do São Paulo teve que se preocupar com Adriano, deixando espaços.

E como Adriano estava se tornando o nome do jogo, não poderia ser diferente: despontou sozinho na frente de Rogério, mas chutou em cima do goleiro. No rebote, chutou de novo em cima, perdendo grande chance. Mas no lance seguinte, Adriano não perdoou: recebeu bola de Kleber e chutou forte, rasteiro e cruzado, não dando chance nenhuma de defesa para Ceni. 1 a 1 e dancinha de Michael Jackson no Morumbi.

O Palmeiras cresceu com o gol, e o São Paulo se assustou. O Verdão tomou controle de todas as ações da partida e por muito pouco não virou a partida, que seria providencial para manter a liderança do Paulistão, que acabou caindo nas mãos do “poderoso” Mirassol.

Agora, o Palmeiras enfrentará o Comercial-PI pela Copa do Brasil, no segundo jogo. No primeiro confronto, vitória palmeirense por 2 a 1. Porém, como o Verdão não ganhou de dois gols de diferença, o jogo de volta foi inevitável.

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 27 de fevereiro de 2011, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Marcio Luiz Augusto e Marco Antonio Gonzaga da Silva
Assistentes adicionais: Raphael Claus e Leandro Bizzio Marinho
Cartões amarelos: Miranda, Dagoberto (São Paulo); Danilo, Marcos Assunção (Palmeiras)
Cartão vermelho: Alex Silva (São Paulo)
Gols: SÃO PAULO: Fernandinho, aos 25 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Adriano, aos 39 minutos do segundo tempo

Público: 26.138 pagantes
Renda: R$ 815.394,00

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rhodolfo, Alex Silva e Miranda; Jean, Carlinhos Paraíba, Casemiro, Lucas (Rivaldo) e Juan; Fernandinho (Xandão) e Dagoberto (Willian José)
Técnico: Paulo César Carpegiani

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Thiago Heleno, Danilo (Leandro Amaro) e Gabriel Silva; Marcos Assunção (João Vitor), Márcio Araújo, Tinga e Valdívia; Kleber e Luan (Adriano)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

Comentários

comentários