Herança “maldita” de Luiz Gonzaga Belluzzo pressiona diretoria para pagamento de R$ 5 milhões para o Banco BMG.

As evidências de que Belluzzo não fez nada do que prometeu no seu plano de governo são cada vez mais claras. Nesta semana o Banco BMG cogitou acionar o Palmeiras no Serasa, órgão responsável por “sujar” os nomes de clientes inadimplentes, pessoas físicas e/ou jurídicas.

Uma dívida de R$ 5 milhões adquirida na gestão Belluzzo é a causa principal da ameaça. Porém os diretores do banco e a diretoria do Palmeiras já iniciaram uma conversa para negociar e quitar o valor. A diretoria do Palmeiras, segundo informações, tem uma boa relação com o BMG.

O Palmeiras terá 10 dias para aprovar a negociação ou não. Caso negue, o nome do clube deverá pertencer ao catálogo negro dos devedores no Brasil. Obviamente que a diretoria do clube não deixará isso acontecer. E caso falte verba, o banco já aceitou a troca por patrocínios na camisa do time de futebol profissional por tempo limitado. O contrato com a Fiat permite que o clube negocie com outras empresas no uniforme, respeitando os espaços da empresa de carros.

P.S: A imprensa fez um tremendo estardalhaço sobre esse caso, teoricamente já resolvido. O clube recebeu uma carta gerada pelo computador do Serasa estipulando uma data para pagamento, nada assustador. Mas já tem jornal jogando essa história na capa, como grande manchete.

Ano passado o Corinthians não pagou a padaria de frente do Parque São Jorge que fornecia pães para as categorias de base, que tiveram que comer bolacha de água e sal com água. A dívida? Bem, um pouco menor que os R$ 5 milhões: R$ 700 reais. Alguém leu em algum jornal?

Comentários

comentários