Vitória do Palmeiras em Santo André praticamente classifica o Verdão para as quartas de final da Copa do Brasil. Gol no fim deixa alerta ligado.

Estava tudo tranquilo e resolvido até os 43 do segundo tempo, quando Thiago Heleno chegou atrasado e Anderson desviou de cabeça para o gol, após cobrança de falta. Mesmo com a vantagem reduzida, o Verdão está bem próximo de chegar às quartas-de-final da competição.

Felipão escalou Luan como companheiro de Kléber, conforme prevíamos no pré jogo. Welligton Paulista começou a partida no banco de reservas com grande expectativa de entrar na segunda etapa. O técnico do Santo André, Sandro Gaúcho, apostou em uma equipe bem retraída, com muitos volantes e forçando o sistema defensivo. Tomando essa atitude, o time andreense permitiu o Palmeiras tomar as ações do jogo. Resumindo: Deola nem sujou a belíssima camisa branca.

Valdívia tentava criar com maestria, trocando passes com Tinga, que tentava fazer papel de Patrick. O volante Marcos Assunção tinha liberdade para jogar e Cicinho apoiava bastante pela lateral. Já Rivaldo…bem…

Kléber conseguiu entrar na área e foi tocado. Mesmo assim prosseguiu e acabou tocado de novo. Juiz meteu pênalti. O Gladiador bateu muito mal e Neneca pegou, mas soltou. Na velocidade, Kleber escorou e mandou para as redes, abrindo o placar e dando tranquilidade para o time de Felipão: 1 a o Palmeiras.

No intervalo, o técnico do Santo André promoveu algumas alterações, deixando a equipe mais ofensiva. Um falso 4-4-2 acabou enganando um pouco o Palmeiras, que tinha o jogo na mão à todo instante. Era só finalizar.

Se Valdívia já estava muito bem na primeira etapa, na segunda, então, começou com tudo. O chileno sempre é um espetáculo à parte. Luan, bastante esforçado e com velocidade, tentava de todas as formas penetrar na parede montada por Sandro Gaúcho.

Deola acabou fazendo sua primeira defesa do jogo ao pegar chute forte, no meio. O Santo André esboçava algum tipo de reação, mas sempre permitia as investidas do rápido Luan pela esquerda, amparado por Rivaldo. Pela direita, Cicinho ameaçava todo instante, provocando uma marcação mais efetiva com dois homens. Em lance pela esquerda, Luan foi derrubado e o juiz novamente marcou pênalti, com razão. Kléber teve a chance de se redimir, mas cobrou muito pior do que o primeiro pênalti: Neneca pegou e mandou para escanteio. Bola na área para Thiago Heleno, que mandou para o gol. Neneca defendeu, a bola tocou na trave e caiu para quem? Kléber, o Gladiador. Sozinho, só escorou pra as redes mandando o segundo para o placar e calmaria geral para o time alviverde.

Depois do gol, o Palmeiras começou a administrar o resultado. Felipão sacou Valdívia e promoveu a estreia de WP9. Deu força ao ataque, mas acabou desmontando o único setor que não poderia ter desmontado: a criação. Sem criar, o Palmeiras trocava passes e esperava o tempo passar.

Aos 43, depois de cometer falta boba, o Palmeiras levou gol. Cobrança na área, Thiago Heleno chegou atrasado e Anderson, ex-gambá, desviou de cabeça no canto de Deola, sem chances.

Com a vitória, o Palmeiras ficou bem próximo da vaga. Pode até perder por 1 a 0 na próxima partida que, mesmo assim, se classifica.

FICHA TÉCNICA
SANTO ANDRÉ 1 X 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Bruno José Daniel, em Santo André (SP)
Data: 13 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)

Cartões amarelos: Magno, Marcelo Godri, Alex, Denis, Sandoval e Borebi (Santo André);
Cartão Vermelho: Vitor Hugo (Santo André)

Gols: PALMEIRAS – Kleber, aos 22 minutos do primeiro tempo, e aos 25 minutos do segundo tempo
SANTO ANDRÉ – Anderson, aos 44 minutos do segundo tempo

SANTO ANDRÉ: Neneca; Marcelo Godri, Anderson e Sandoval; Alex, Walax, Aloísio, Magno (Vitor Hugo) e Denis (Juan Felipe); Richely e Igor (Borebi)
Técnico: Sandro Gaúcho

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Danilo, Thiago Heleno e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção (Chico), Tinga e Valdívia (Wellington Paulista); Luan e Kleber (João Vitor)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Comentários

comentários