Não foi uma das melhores exibições do Palmeiras. Mas o empate diante do Cruzeiro, em Sete Lagoas, mostrou que o time de Luiz Felipe Scolari pode brigar pelas primeiras colocações sem maiores complicações.

O Verdão por pouco não venceu o Cruzeiro, em Minas. O time de Luiz Felipe Scolari jogou compacto, mas não se encontrou nos primeiros 20 minutos de jogo. Durante esse tempo, só se via o Cruzeiro em campo. A troca de passes do time mineiro assustou o Palmeiras, que tentava se segurar de todas as maneiras. Thiago Heleno assumiu o papel de “xerife” da zaga e jogou um partidaço. Logo aos 15, Walysson mandou um chutaço de fora. Marcos só acompanhou com os olhos e a pelota estampou a trave, deixando sua marca pentagonal.

Tinga não se encontrava na partida e não conseguia fazer seu papel. Mas, aos poucos, o volante começou a encontrar espaço e então a partida se equilibrou. Ele mesmo teve a chance de abrir o placar, mas acabou isolando uma bola fácil.

Na segunda etapa, o Palmeiras voltou sem alterações. O técnico Cuca, do Cruzeiro, optou por Anselmo Ramón no lugar de Brandão, que já tinha levado amarelo e era forte candidato para entrar no chuveiro mais cedo.

Aos 2 minutos, em lance de extrema felicidade, Wallyson escapou sozinho na frente de Marcos. Preferiu rolar para o lado, justamente para Anselmo. Com o gol aberto, o atacante se trançou nas pernas e a bola acabou saindo pela linha de fundo. Um gol feito desperdiçado pelo Cruzeiro.

O Cruzeiro viu que tinha mais chances de abrir o placar e se lançou ao ataque. As bolas paradas e os lances protagonizados pelo rápido Marquinhos Paraná acuavam ainda mais o Palmeiras, que tentava um lance ou outro, na sorte. Marcos fez excelente defesa em chute de Wallyson e a bola sobrou para Assunção, que lançou para o ataque. Frente a frente com Leonardo, Luan deixou a bola dar uma quicadinha e mandou um chutaço. O goleiro Fábio estava um pouquinho adiantado, e a bola morreu na gaveta. Uma pintura! 1 a 0 Palestra de São Paulo.

Com vantagem, o Palmeiras começou a trabalhar a bola no ataque cruzeirense, irritando os mineiros. Marcos Assunção ainda bateu falta que beliscou a trave. E o Palmeiras tinha mais auto confiança na vitória, que se aproximava.

Cuca colocou Ortigoza no lugar de Thiago Ribeiro. No primeiro lance, o paraguaio saiu na cara de Marcos, mas quis fazer bonito e mandou de cobertura. Acabou indo para fora. Em lance de escanteio, bola desviada no primeiro pau e sobrou limpinha para Anselmo Ramón, em cima da linha. O atacante só escorou e fez o gol de empate do Cruzeiro.

Felipão surpreendeu ao colocar Adriano no lugar de Luan. Posteriormente, o treinador colocou Chico no lugar de Tinga para tentar fechar o buraco. Cuca colocou Gilberto no meio para melhorar a armação e tentar alguma chance de gol. Mas quem quase fez foi o Palmeiras. Após escanteio de Assunção, Chico apareceu sozinho, no terceiro andar. O volante desviou de cabeça, mas a bola resvalou a trave e acabou saindo. Depois disso, os times só tentavam jogadas de desespero, chutando para frente tentando alguma sorte na bola escorada.

O empate em Minas foi importante para o Verdão. Somar pontos em jogos difíceis no Brasileiro, que tem o formato de pontos corridos, sempre é interessante. Cada jogo é um breve passo rumo ao título. O time de Felipão mostrou hoje certa consistência e preparo com pressão. Isso é muito importante.

Comentários

comentários