Atacante soltou o verbo em cima de Roberto Frizzo e da diretoria do Palmeiras: “Não estão nem aí para nós”.

Finalmente, Kleber falou com a imprensa e explicou sua situação, diante de vários boatos circulando na mídia e na própria torcida.

Kleber respondeu às críticas de Frizzo quanto à ausência na partida diante do Santos, no Pacaembú. “Infelizmente temos diretor que fala besteira, que joga jogador contra torcida, que não é profissional. Eu estou treinando todos os dias. Ele (Frizzo) tem um restaurante e é muito mais preocupado com ele do que com o clube. Ele não tem o que falar”, disse. Frizzo é dono da rede de lanchonetes “Frevinho” e cuida dos negócios em paralelo com a função de diretor de futebol do clube, já que o cargo na Sociedade Esportiva não é remunerado.

A comissão técnica do Palmeiras informou a diretoria que Kleber estava sentindo dores na coxa esquerda. O curioso é que as dores apareceram após uma reunião com o próprio Roberto Frizzo, no sábado. O diálogo não foi divulgado. “Se o Frizzo não é homem, não tem caráter, não vem falar comigo que nem homem, se esconde o tempo todo, tentando me jogar contra o torcedor…”, disse Kleber.

Kleber ainda atirou: “Meu clima com a diretoria é péssimo e não faço questão nenhuma de ficar bem. Eles não frequentam o clube, não fazem nada por nós”.

Informalmente, o atacante disse que só não jogou neste domingo porque realmente estava sentindo dores na coxa esquerda. Exames foram feitos em uma clínica particular e a lesão foi apontada. A comissão técnica e o departamento médico do clube contestam a validade do documento apresentado.

Nas alamedas do clube comenta-se que Kleber está forçando a barra por um aumento de salário, usando a proposta do Flamengo como álibi. Já funcionários que trabalham quase que diretamente com Kleber confirmam que ele ainda sente dores na coxa esquerda e que está com receio de “arrebentar” o músculo e ter que ficar inativo para prática do futebol.

Comentários

comentários