Apesar de todos os problemas extra-campo, Verdão arranca empate no Rio de Janeiro após jogo com muita disposição.

O clima era o mais terrível possível. Jogadores não quiseram se concentrar por conta de um protesto, liderado por Kleber,  após as agressões sofridas por João Vitor e tudo dava à entender de que Felipão teria perdido o comando. Mas, dentro de campo, o Palmeiras jogou melhor – esforçadamente – e mesmo levando gol irregular, foi atrás e empatou, com um belo gol de Maikon Leite.

O jogo

Felipão voltou com o esquema de dois zagueiros. Cicinho, que voltou de contusão, assumiu a lateral direita. Luan foi para o meio e Patrick entrou na armação. O Palmeiras criou algumas chances de gol, principalmente com Marcos Assunção, mas nenhuma foi efetiva. Em um lance incomum do futebol, o Flamengo acertou duas bolas consecutivas na trave e Deola praticou um verdadeiro milagre. Após o lance, os cariocas se animaram e começaram a tomar o controle do jogo que, outrora, era do Palestra.

Na metade do primeiro tempo, Marcos Assunção se machucou e acabou substituído por Rivaldo. Mesmo sem as tradicionais bolas paradas, o Palmeiras melhorou em campo. Maikon Leite teve excelente chance após “furada” de Fernandão. Goleiro carioca estava bastante esperto no lance e praticou defesa à queima-roupa.

Na primeira etapa, o Flamengo insistia em chutes de longa distância, principalmente com Renato e Botinelli. Mas nenhuma delas deu resultado, efetivamente.

Para o segundo tempo, o técnico Vanderlei Luxemburgo promoveu duas alterações: entrou Negueba, no lugar de Willians, e Jael no lugar de Deivid. Promovendo troca de volante por atacante, Luxemburgo deixou claro que o Flamengo não queria perder pontos em casa. Já o Palmeiras esbarrava na sua grande falta de criatividade, que ressalta aos olhos todos os jogos – principalmente naqueles em que Valdívia é desfalque.

Aos 10 minutos, o Flamengo abriu o placar: a bola chegou nos pés de Thiago Neves, que encontrou espaço e mandou para a área. Jael, completamente impedido, ameaçou cabecear e errou. A bola, então, enganou Deola e morreu no fundo do gol. O gol lembrou muito aquele marcado por Émerson, do Corinthians, quando o Palmeiras venceu por 2 a 1, com golaço de Fernandão.

Após o gol, o Flamengo ficou recluso na defesa tentando segurar o resultado, para loucura total de seu treinador. O Palmeiras, inteligentemente, começou à ocupar maiores espaços no campo. A velocidade de Cicinho ajudava bastante, e foi dos pés dele que saiu o gol de empate, logo depois: o lateral viu Maikon Leite passar com rapidez pela esquerda e passou. Maikon entrou na área e mandou forte, para as redes.

Ricardo Bueno entrou no lugar de Fernandão e o Palmeiras, então, passou à ter um atacante que voltava para buscar o jogo. Obviamente que fez falta no ataque. O Verdão teve duas chances, uma Luan e Chico. O Flamengo continuava sendo perigoso com Botinelli e Renato, mas era notável que os cariocas se assustaram com o gol palestrino.

No fim, Felipão trocou Patrick por Tinga, e outra vez não surtiu efeito. O Verdão teve uma boa chance no final do jogo, e poderia ter vencido a partida. Mas não conseguiu finalizar com competência e acabou empatando, trazendo um ponto e alcançando 41 no Brasileiro, chegando na nona posição.

FICHA TÉCNICA: FLAMENGO 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 12 de outubro de 2011 (Quarta-feira)
Horário: 21h50(de Brasília)
Público: 22.572 pagantes
Árbitro: Emerson Ferreira de Almeida (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Helberth Costa Andrade (MG)
Cartão Amarelo: Willians, Alex Silva, Negueba(Fla); Marcos Assunção, Patrik, Cicinho, Thiago Heleno(Pal)
Gols:
FLAMENGO: Thiago Neves aos dez minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Maikon Leite aos 18 minutos do segundo tempo

FLAMENGO: Felipe Leonardo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar; Aírton(Fierro), Willians(Negueba), Renato Abreu e Bottinelli; Thiago Neves e Deivid (Jael)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS: Deola, Cicinho, Henrique, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Chico, Marcos Assunção(Rivaldo), Patrik e Luan; Maikon Leite e Fernandão(Ricardo Bueno)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Comentários

comentários