Técnico do Palmeiras não suporta mais tranqueiras na equipe. O termo “camarão” foi utilizado pelo técnico.

Felipão comparou o Palmeiras de hoje com o do futuro, com possíveis reforços. Segundo o treinador, o clube tem que deixar de lado o “arroz, feijão e salada” e partir para cima do “camarão e carne”. A metáfora usada pelo treinador é bem clara: o time de hoje não é competitivo para 2012 e precisa de bons reforços, não somente jogadores que completam o grupo.

“O presidente vai dar esses reforços. Tem de dar. O que pediram neste ano, eu fiz. Agora, peço ajuda para montar uma equipe,” disse Felipão.

Wágner, ex-Cruzeiro, estava bem próximo do Palmeiras, mas recebeu uma proposta muito maior do Fluminense e deve acertar. Nomes como Giuliano e Diego Tardelli foram praticamente cortados da lista. Foram considerados caríssimos pela diretoria, que parece ressurgir com o “bom e barato”, que se torna “ruim e caro”.

Tirone ainda confirmou ao jornal Lance! que os reforços deverão chegar ainda em 2011. “Se depender da gente, tem de ser otimista, que vamos conseguir alguns jogadores para melhorar o time. Estamos trabalhando. Não podemos falar nada. Ninguém está dormindo. Não vamos deixar para o ano que vem. Tem de fechar (algumas contratações em 2011). Se deixar para o ano que vem, não dá.”

Segundo informações, Felipão teria implorado para os reforços chegarem ainda em 2011. A pré temporada do clube está marcada para início de janeiro e o técnico quer contar com os novos atletas afim de integrá-los, evitando assim os problemas de relacionamento que sempre abatem o clube.

Felipão acenou com a possibilidade de “repatriar” Pierre, negociado com o Atlético-MG. O volante teria conversado com o técnico e informado a vontade de voltar à vestir a camisa do clube, prometendo regularidade e vontade. Pierre ficou um bom tempo afastado por conta de uma cirurgia na sola do pé. 

E aí, Tirone: vamos de prato feito ou camarão à la carte?

Comentários

comentários