Essa é uma notícia que jamais gostaríamos de publicar: São Marcos, nosso eterno ídolo, deixou de jogar bola e vestir a nossa camisa no gol. Agora, ele vestirá nossa camisa dentro do clube.

Uma personalidade histórica pelo simples modo de ser, pela humildade e pelas características tranquilas e ao mesmo tempo explosivas. Assim podemos definir Marcos, agora ex-goleiro do Palmeiras. Os torcedores e a imprensa terão que se acostumar com o novo pronome do goleiro, afinal “ex” parece algo que não existe e não acontece mais. Mas o “ex” de Marcos é o único, no mundo, que não será compatível com seu significado.

A imagem de Marcos no gol do Palmeiras, com certeza, ficará eternizada em todos os corações palestrinos, palmeirenses e dos verdadeiros torcedores de futebol. Seu ritual tranquilo, de entrar em campo, se ajoelhar e agradecer a Deus pelo simples fato de poder jogar será eternizado por todos. Marcos emociona, sempre emocionou. Goleiro de sangue quente, de paixão enorme pelas cores do Palmeiras e nunca abandonou o clube, mesmo na situação mais delicada, quando estávamos na Série B. Uma proposta milionária do Arsenal-ING poderia ter tirado o goleiro de sua trajetória vencedora. Mas, mesmo assim, preferiu enfrentar à tudo e à todos e atuar no meio de clubes mais simples, mas sempre com a dignidade inflada. E foi assim que Marcos nos conduziu para o lugar onde nunca deveríamos ter saído.

Obviamente que os corintianos não falarão muito da aposentadoria do goleiro. Claro. O alívio com a ausência de Marcos é ouvido a kilômetros de distância, principalmente quando falamos de Copa Libertadores da América. Marcos, nosso Santo, por duas vezes enterrou sete palmos debaixo da terra o sonho de milhões de corintianos de, finalmente, conquistar a América. E com estilo. E defendendo pênalti de um dos maiores ídolos alvinegros, e ainda por cima referenciado pela “fabulosa” imprensa esportiva por bater faltas e pênaltis como ninguém. Mas, com Marcão na frente, Marcelinho virou apenas uma surpresinha de Kinder Ovo. Teve que sair debaixo de enormes vaias, e ainda viu colegas apanharem dos torcedores. Vários atletas saíram pelas portas do fundo, justamente porque Marcos apareceu. O santo. Eterno.

Quando falamos dos brasileiros, então, Marcos terá um cantinho especial no coração de todos. Até do mais humilde, no sertão de pernambuco. Se não foi o principal responsável, nosso goleiro foi um dos maiores responsáveis pelo pentacampeonato mundial conquistado pelo Brasil, no Japão. Comandado por Felipão, o goleiro fez defesas milagrosas, narrada aos escândalos por Galvão Bueno. Defesas difíceis, dignas de herói. Mas, para Marcos e sua humildade, foram “apenas defesas” e foi apenas uma “Copa do Mundo”. Apenas.

Estamos reunindo material para fazer um grande especial do goleiro Marcos. O goleiro que não custou milhões. Foram apenas 12 pares de chuteira…e só. Isso sim que é um verdadeiro custo benefício.

Santo, nós sentiremos sua falta. Principalmente em um mundo onde as pessoas só pensam em dinheiro. Amar a camisa e ser eternizado, ainda mais como goleiro, é para bem poucos.

Comentários

comentários