Palmeiras comete a primeira gafe de 2012: saiu perdendo para o Catanduvense e empatou com Fernandão, aliviando um pouco a vergonha.

O empate entre Catanduvense e Palmeiras demonstrou como pode ser o ano do time alviverde: difícil e dependente de Assunção de Valdívia. O Palmeiras não soube de nenhuma forma se impor, levou um gol após pênalti absurdo de Leandro Amaro e oficialmente não exibiu um bom futebol.

O jogo

Fernandão comemora gol de empate contra a Catanduvense: Fonte: UOL

Felipão e Murtosa surpreenderam ao escalar Daniel Carvalho desde o início. Mesmo fora de forma, o meio campista deu volume de jogo e distribuiu bons passes. Luan ficou um pouco pela esquerda e Maikon Leite chegou no ataque como titular. O Palmeiras tinha o pleno domínio do jogo, mas esbarrava nas fracas finalizações de Ricardo Bueno e Maikon Leite, sem nenhum entrosamento. Os dois abusaram nos erros de passes e nas conclusões bisonhas.

Na segunda etapa, Pedro Carmona veio para o lugar de Luan. Carmona, por sua vez, não conseguiu mostrar seu trabalho e acabou sendo mais um na marcação, sem armar. Toda a responsabilidade caiu nas costas de Daniel Carvalho que, cansado, logo deu lugar para Patrick. Este, por sua vez, também entrou totalmente afobado e não conseguiu trocar dois passes certos consecutivos, minando assim qualquer chance de criação.

Na sequência, o time da casa abriu o placar: a bola quicou estranhamente no gramado irregular e Leandro Amaro meteu o ombro/braço na bola. O juiz assinalou pênalti, que Osny bateu bem, tirando de Deola: 1 a 0 Catanduvense.

Vendo o time em desvantagem, Murtosa sacou Maikon Leite e colocou Fernandão, na esperança de uma bola alçada. Bueno perdeu grande chance, sozinho. Depois Assunção acertou um petardo e João Paulo colocou para a linha de fundo.

Aos 37, o Palmeiras chegou ao empate: Assunção bateu escanteio fechado no primeiro pau, e Fernandão mandou para as redes: 1 a 1. Com o empate, o Palmeiras sabia que poderia vencer se explorasse um pouco mais. E foi um verdadeiro bombardeio em cima do goleiro João Paulo. Aos 47, bola na área e Ricardo Bueno perdeu outra grande chance, bisonhamente.

E aos 48 o juiz encerrou a partida em Catanduva: pior para o Palmeiras, que não conseguiu vencer o fraco time do interior, e segue com cinco pontos, com uma vitória e dois empates.

Opinião

O time sem Valdívia é bem diferente. Sem seu principal articulador, o Palmeiras fica preso nas chances de Assunção na bola parada ou em um possível dia de gênio de Daniel Carvalho. Inoperante, Luan não consegue fazer boas partidas e acaba forçando sua substituição. Maikon Leite precisa ter mais objetividade e tentar finalizar. Ricardo Bueno não teve calma e perdeu duas grandes chances. É incabível e inaceitável um empate contra a Catanduvense. Mas, como sabemos, o Paulistão terá oito classificados para a segunda fase. Portanto, o empate deste domingo não gerará grandes transtornos para a trajetória alviverde.

FICHA TÉCNICA
CATANDUVENSE 1 x 1 PALMEIRAS

Estádio: Silvio Salles, Catanduva (SP)
Data/hora: 29/1/2012 – 17h
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Mauro André de Freitas

Renda/ público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Cleber 18’/2T
Cartões vermelhos: –
GOLS: Osny 31’/2T (1-0) e Fernandão 37’/2T (1-1)

CATANDUVENSE: João Paulo; Lorran, Cleber, Ednei e Anderson Paim; Dú, Ricardo Oliveira, Fabinho Carioca, Washington (Sidrailson, aos 40’/2ºT) e Alex Willian (Johnson, aos 20’/2ºT); Alemão (Osny, aos 19’/2ºT). Técnico: Roberval Davino.

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, LEandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Daniel Carvalho (Patrik, aos 25’/2ºT); Maikon Leite (Fernandão, aos 30’/2ºT), Luan (Pedro Carmona, aos 12’/2ºT) e Ricardo Bueno. Técnico: Flávio Murtosa.

 

Os gols da partida:

Comentários

comentários