Kleber, atualmente no Grêmio, agrediu fisicamente sua esposa, que fez Boletim de Ocorrência na Delegacia. 

O Palmeiras se livrou de um grande problema, mesmo que a torcida tenha uma certa simpatia, ainda, pelo jogador. Depois de tudo que Kleber fez no Palmeiras,  o jogador bateu em sua mulher na cidade de Porto Alegre, após uma festa.

Kleber e sua esposa estavam em uma festa, e ela teria pedido para o jogador se despedir dos amigos e ir embora, pois a sua filha pequena estava sob cuidados de outra pessoa. O jogador foi extremamente mal educado e aceitou o pedido da esposa. Ao chegar no apartamento, Débora começou a consultar o celular do jogador, que já foi pego com outra mulher em um caso típico de infidelidade. Ao ver que a esposa estava com seu celular, Kleber desferiu um soco na cabeça de Débora e acertou seu rosto. A mulher prestou depoimento e registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher, em Porto Alegre.

O presidente Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo fez todos os esforços para trazer Kleber novamente para o Palmeiras. O jogador foi apresentado em grande estilo, a torcida lotou as dependências da Academia de Futebol e na sequência as arquibancadas do Palestra Itália, com bandeirões e fogos. Nem essas homenagens tocaram o coração do jogador, que teve uma temporada pífia e forçou a situação para deixar o clube. Felipão sabia do estilo do jogador e com certeza presenciou casos de desrespeito e falta de profissionalismo. Por isso Felipão confirmou que não trabalhava mais com o atleta.

O jogador, sabendo da rivalidade entre Palmeiras e Corinthians, elogiava o clube rival e disse que era o “sonho do pai dele” jogar nos alvinegros. Obviamente que as declarações revoltaram os palmeirenses. Kleber, para evitar problemas, fechou com o Grêmio. Mas ainda assim acabou perseguido por muitos palestrinos, tamanha falta de respeito com as nossas cores.

Casos como esse, de agressão à uma mulher, só denigrem a imagem do clube. Por isso, ainda bem que o jogador saiu do Palmeiras…ele mesmo preferiu não marcar história com a nossa camisa. Respeito ele tinha, mas preferiu jogar fora. Só nos resta acompanhar casos lamentáveis como esse na imprensa, e pensa: “Ainda bem que o Palmeiras se livrou dessa tranqueira”.

Comentários

comentários