Diretoria fecha com a empresa Kia Motors como patrocínio master na camisa. A Kia pagará R$ 25 milhões por ano.

Depois de um longo tempo sem nenhum indício de negociação, a diretoria do Palmeiras encontrou um parceiro e assim confirmou o patrocínio master na camisa. A Kia Motors, multinacional coreana de automóveis, será a nova patrocinadora do Verdão. Nesta quarta-feira, o presidente do clube, Arnaldo Tirone, e o presidente da Kia no Brasil, José Luiz Gandini, concederão entrevista coletiva na sede da empresa, na Zona Sul de São Paulo. Tirone fechou os últimos detalhes com a empresa nesta terça-feira, em Itu, onde fica situada a sede da Kia no Brasil.

Na semana passada, o Palmeiras esteve muito perto de acerto com a JAC Motors, mas não conseguiu angariar vantagens nos valores negociados. Depois, a Chevrolet tentou iniciar uma negociação, mas acabou desistindo.

O acerto, a princípio, será por três anos (36 meses). A empresa pagará para o Verdão a quantia de R$ 25 milhões. Mas, no contrato, existem cláusulas que apontam se o Palmeiras alcançar fases decisivas nas competições que disputará nesses três anos, um bônus adicional será concedido. A Fiat, ex-patrocinadora, pagava cerca de R$ 25 milhões por 18 meses.

“A parceria atende aos interesses do Palmeiras e da Kia Motors. Além do patrocínio de camisa, Palmeiras e Kia podem desenvolver novas ações no futuro”, afirmou o presidente Arnaldo Tirone. A camisa palmeirense continua com outros patrocínios ( Adidas, Tim, Skill Idiomas e BMG).

A história da empresa (Fonte: Wikipedia)

Durante a Guerra da Coreia, que decorreu entre 1950 e 1953, a Kia mudou as instalações para a cidade portuária de Pusan, no sul do país, tendo passado a designar-se Indústrias Kia. Nesta altura, mais concretamente em 1952, começou a fabricar bicicletas, chamadas Samcholli. Após o fim da guerra a Kia montou outra fábrica, na localidade de Shiheung, para poder dar vazão às encomendas de bicicletas.

A empresa foi crescendo e em 1961 lançou um motor para motorizadas tipo scooter. No ano seguinte criou um pequeno veículo comercial de três rodas.

Na década de 1970, a Kia estabeleceu-se como construtora de viaturas, tendo começado com os caminões Titan e Boxer. Dado o crescimento da empresa, em 1973 foi construída uma nova fábrica em Sohari, criada de raiz para a concepção de viaturas motorizadas. Logo nesse ano a fábrica começou a produzir motores a gasolina.

Em 1974 a Kia apresentou o seu primeiro carro de passageiros, chamado Brisa. Dois anos depois a empresa comprou a Asia Motors, uma construtora de veículos comerciais.

Em 1978 foi o ano em que a Kia começou a construir motores a diesel. Nesta altura a marca coreana já tinha ganho uma boa reputação internacional, o que lhe permitiu ser escolhida em 1979 para fabricar para o mercado nacional os 604 e os 132.

No entanto, no início da década de 1980 a marca entrou em declínio e passou por um processo de reestruturação. Assim, durante a primeira metade da década de 80, apostou essencialmente na produção de viaturas comerciais, entre as quais se destacavam os modelos de caminhões: o Bongo.

Os japoneses da Mazda e da C. Itoh investiram na Kia em 1983 e a norte-americana Ford em 1986, permitindo à marca coreana apostar na pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Dessa forma, no final da década surgiram modelos como o Conord e o Capital.

Em 1990 a marca adaptou o seu nome, para Kia Motors, e inaugurou uma nova fábrica que lhe permitiu duplicar a produção e atingir a produção 700 mil veículos por ano.

Em 1991 a Kia lançou-se no mercado internacional com os modelos Sephia e Sportage, este último com características de todo-o-terreno.

O 50º aniversário da marca foi assinalado em 1994 com a mudança de nome para Kia Motors Corporation e com o lançamento do primeiro motor coreano de 16 válvulas a gasolina. Em julho desse mesmo ano, a Kia começou a ser comercializada em Portugal.

Em 1995 começou a produzir seus carros (Sephia) na Europa e dois anos depois lançou de uma vez três modelos novos: o Carnival (primeira minivan coreana), o esportivo Shuma e uma série de caminhões.
Quase falência e venda para a Hyundai

Os constantes investimentos da década de 1990 consumiram milhões de dólares, e a Kia esteve perto da falência entre 1997 e 1998, mas acabou sendo adquirida em 1998 pela Hyundai. Assim, surgiu o conglomerado Hyundai Kia Automotive Group, existente até hoje.

Depois desta união, é comum carros destas duas marcas terem os mesmos conceitos e plataformas, mas ambos se concorrendo, como ocorre com Sportage e Tucson ou Bongo e HR.
Brasil

No Brasil a Kia Motors está desde 1991, e é representada por José Luis Gandini, tendo sua sede na cidade de Itu. Já o pátio onde os veículos recebidos da Coréia que são distribuídos para as concessionárias, fica localizado em Vitória.

 

Modelos

Morning/Picanto
Opirus/Amanti
Optima/Optima-Regal/Magentis
Optima/Magentis/Lotze
Rio/Pride
Kia Cadenza / K7
Spectra/Cerato
Sportage
Carens
Sorento
Carnival/Sedona
Kia Magentis
Kia Bongo
Kia Stratus
Kia Mohave
Kia Soul
Forte Coupé

Montagem de como pode ficar a nova camisa palestrina

Comentários

comentários