Em clássico bastante movimentado, Verdão ficou três vezes na frente, mas cedeu empate. Resultado deixa o Palmeiras na terceira posição do Paulistão

Palmeiras e São Paulo fizeram um dos clássicos mais movimentados dos últimos tempos. Ambas equipes precisavam da vitória para encostar no rival Corinthians. Mas o empate deixou o Palmeiras na terceira posição. O Verdão, com o empate, continua com uma incrível invencibilidade em Presidente Prudente e no ano de 2012, já que a equipe de Felipão não perde há 16 partidas.

O jogo

Cicinho e Daniel Carvalho comemoram o primeiro gol do Palmeiras. Fonte: Terra

O Palmeiras entrou em campo muito certo do que queria. Entrou marcando muito bem as saídas de bola do São Paulo, que ficou surpreendido. Lucas nem chegou na bola no começo. Cícero também foi muito bem marcado e minado. Logo aos 6 minutos, falta em cima de João Vitor pela direita. Todos esperavam que Assunção iria cobrar, mas Daniel Carvalho surpreendeu e chutou de chapa pelo lado direito da barreira. A bola fez uma curva, à meia altura, e surpreendeu Denis, que nada conseguiu fazer para evitar o primeiro gol do Verdão: 1 a 0 Palmeiras.

Diferente dos outros jogos, o Palmeiras saiu na frente e manteve a propriedade, não ficando na defensiva. Maikon Leite e Barcos ameaçavam a meta sãopaulina sempre que Cicinho e Juninho tentavam descer. Cortêz, lateral esquerdo adversário, procurava correr e fazer jogadas, mas foi bem bloqueado por João Vitor.

Mas a defesa acabou vacilando. Bola rasteira na área e Cícero passou no meio de dois palmeirenses e se jogou para empatar a partida e equilibrar o confronto: 1 a 1.

Logicamente que o São Paulo se animou e veio para cima, tentando a virada. O Palmeiras mostrou maturidade e procurou o melhor momento e o melhor espaço para virar. Eis que Maikon Leite viu Barcos na meia. O argentino virou em cima de Paulo Miranda, cortou Piris e mandou um balaço. O goleiro Denis chegou a colocar a mão na bola, mas sem sucesso: 2 a 1 e Verdão na frente.

O São Paulo ainda tentou com Cortês, de fora da área, mas Deola espalmou.

No intervalo, o técnico Émerson Leão sacou Jadson, invisível em campo, e colocou Fernandinho. Com essa alteração, Cícero virou uma espécie de meia armador e o São Paulo melhorou em campo, tomando as ações do meio. Aos 8 minutos, Willian José chutou de fora da área e Deola defendeu com tranquilidade. Mas, na sequência, Cortêz tentou dar um balão em Cicinho dentro da área, sem perigo. O lateral palmeirense cercou a bola e ergueu o braço, que encostou no lateral sãopaulino. O juiz interpretou como falta, e consequentemente como pênalti. Willian José bateu e empatou: 2 a 2.

Novamente com a igualdade no placar, o jogo teve seu momento de equilíbrio. O São Paulo ameaçava, e o Palmeiras dava o troco. Mas a percepção era de um maior controle do Verdão, por mais que Daniel Carvalho não conseguisse mais produzir. Analisando a situação, Felipão sacou o meia e colocou Patrick, para interagir com João Vitor e tentar criar alguma coisa no setor ofensivo.

Falta pela esquerda. Assunção iria bater, mas Juninho foi mais rápido, vendo que a defesa do adversário ainda não tinha se formado. A bola passou por todo mundo, menos por Barcos. O argentino dominou, em condição legal, e tocou com categoria para as redes e colocando o Palmeiras novamente na frente: 3 a 2.

Na frente novamente, e no segundo tempo, o Palmeiras deveria ter segurado a bola, trocado passes e tentado achar algum espaço para ampliar. Felipão então sacou João Vitor e colocou Chico para tentar segurar o jogo. Mas não foi suficiente: Fernandinho avançou e Assunção cortou. A bola voltou, o mesmo Fernandinho pegou e correu, arriscando de fora da área. Cheio de jogadores na frente, Deola não conseguiu pular antes e a bola estufou a rede, concretizando de novo o empate: 3 a 3.

Felipão ainda tentou alguma coisa colocando Ricardo Bueno no lugar de Maikon Leite, mas sem sucesso: o clássico terminou 3 a 3, e o Palmeiras ficou na terceira posição do Campeonato Paulista. Se terminasse hoje, o Verdão enfrentaria o Mogi Mirim nas quartas.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 3 X 3 SÃO PAULO

Estádio: Prudentão, Presidente Prudente (SP)
Data/hora: 26/2/2012 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Herman Brumel Vani (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Renda/público: R$ 556.265,00/ 19.161 Pagantes
Cartões amarelos: Marcos Assunção, Henrique (PAL); Paulo Miranda e Rodrigo Caio (SAO)
Cartões vermelhos: –
GOLS: Daniel Carvalho, 5’/1ºT (1-0); Cícero, 30’/1ºT (1-1); Barcos, 37’/1ºT (2-1); Willian José, 9’/1ºT (2-2); Barcos, 26’/2ºT (3-2); Fernandinho, 30’/2ºT (3-3)

PALMEIRAS: Deola, Cicinho, Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor (Chico, 42’/2ºT) e Daniel Carvalho (Patrik, 23’/2ºT); Maikon Leite (Ricardo Bueno, 45’/2ºT) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

SÃO PAULO: Denis, Piris, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Casemiro (Rodrigo Caio, 15’/2ºT), Cícero e Jadson (Fernandinho, Intervalo); Lucas e Willian José. Técnico: Emerson Leão.

Assista os gols de Palmeiras 3 x 3 São Paulo:

Comentários

comentários