Verdão raçudo vira para cima do Santos depois dos 40 da segunda etapa. Vitória trás fôlego e motivação para os jogadores e torcida.

Maravilhosa virada! Bem no dia do aniversário do Neymar, onde a Globo fez todo tipo de homenagem possível para o garoto e tirou todo foco do jogo, Verdão vira no final da partida e deixa os moicanos desesperados e pensativos: “De novo para o Palmeiras?”.

O jogo

Juninho marca o segundo e comemora em Prudente. Fonte: Terra

Felipão optou o time com três volantes. Fechado, o Palmeiras não deu nenhuma chance para o setor de criação do Santos. Incrivelmente grande parte da posse de bola era do Palestra. Trocando melhor os passes, o Palmeiras quase abriu o placar com Fernandão. Valdívia lançou Luan, que dividiu com o goleiro. Fernandão errou a conclusão.

O Santos assustou com Elano. Depois de bobeada no meio, Ganso passou para Elano que chutou forte e rasteiro. Deola, espetacular, se esticou todo e tirou a bola do alvo das redes.

Aos 40 minutos, Valdívia sentiu duas lesões e acabou deixando o gramado, abrindo espaço para o desenvolvimento de Daniel Carvalho. Na primeira jogada, o meia passou por quatro jogadores do Santos, driblou o goleiro Rafael mas acabou perdendo o ângulo: o goleiro santista voltou e defendeu o fraco chute, desequilibrado. E a primeira etapa ficou nisso.

Para a segunda etapa, o Santos subiu com uma alteração: Borges, contundido, deixou o gramado dando lugar à Alan Kardec. Nitidamente, o Palmeiras voltou melhor, mas o Santos também melhorou bastante com a formação imposta por Muricy. Depois de boa falta batida por Assunção, Luan passou por trás da zaga e chutou fraco, em cima de Rafael. A bola ficou bobeando no meio da área, e ninguém aproveitou.

Maikon Leite estava na lateral para entrar no lugar de Luan, quando o Santos abriu o placar: falta pela esquerda cobrada por Ganso. Neymar saltou entre Luan e Fernandão, fazendo 1 a 0 para o adversário. A Globo, para variar um pouco, fez vinheta, bolinha dourada e fogos coloridos comemorando o centésimo gol do jogador. Mas ele não deveria ter dançado como fez. Assim, até o Armero, na Itália, se irritou e já ensaiou o “Armeration”.

Ricardo Bueno entrou no lugar de Cicinho, e o Palmeiras começou a pressionar demais o Santos. Aos 28, Maikon Leite fez sua primeira jogada e, sozinho, tocou por cima de Rafael: Pará correu e tirou do gol. Na sequência, Maikon Leite disparou e cortou o zagueiro, chutando cruzado: Rafael pulou, a bola fez um grande efeito, mas foi para fora.

Aos 43, Assunção cobrou escanteio e Fernandão – o Rei de Prudente – testou firme para o gol. Empate palestrino.

Na sequência, Maikon Leite teve boa chance, e desperdiçou. Mas no lance seguinte a torcida comemorou o segundo gol: Daniel Carvalho lançou Juninho, que disparou. O ala palmeirense viu um atleta de verde no meio e cruzou fraco, mas Maranhão meteu o pé na bola, e ela morreu no fundo das redes, matando o goleiro santista: 2 a 1 Palmeiras, e desta vez Neymar fez cara de choro.

O árbitro apitou o final da partida, e a torcida do Palmeiras, insandecida, gritava e pulava aos gritos de Palmeiras e freguês. O Palmeiras conseguiu onze pontos em cinco jogos, objetivo imposto por Luiz Felipe Scolari. Agora o time terá calma para treinar e enfrentar o XV de Piracicaba, em São Paulo, no meio de semana.

Opinião

Felipão foi inteligente ao entrar com três volantes (João Vitor, Assunção e Márcio Araújo). O Santos entrou aberto e sofreu nas conclusões, não assustando diretamente Deola. No intervalo, Muricy tirou Borges, e o Palmeiras tirou proveito disso. Felipão logo mandou Maikon Leite e Ricardo Bueno, e o adversário se perdeu na marcação. O gol de empate, “manjado”, impulsionou o segundo gol, que foi resultado de pura pressão palestrina.

Agora nos resta esperar por uma boa estreia de Barcos e a confirmação da chegada de Wesley. O Santos continua um grande freguês…

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 2 PALMEIRAS

Estádio: Eduardo José Farah, em Presidente Prudente (SP)
Data/hora: 5/2/2012 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Fábio Rogério Baesteiro
Renda/ público: R$ 705.260/25.933 pagantes
Cartões amarelos: Neymar (SAN), Pará (SAN); Cicinho (PAL)
Cartões vermelhos: Ibson, 42′ 2º/T
GOLS: Neymar, 26′ 2º/T (1-0); Fernandão 42′ 2º/T (1-1); Juninho 45′ 2º/T (1-2)

SANTOS: Rafael, Maranhão, Bruno Rodrigo, Durval; Arouca, Henrique, Elano (Ibson, 18′ 2º/T), Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec, Intervalo). Técnico: Muricy Ramalho.

PALMEIRAS: Deola, Cicinho (Ricardo Bueno, 34′ 2º/T), Leandro Amaro, Henrique, Juninho; Marcos Assunção, Márcio Araújo, João Vitor, Valdivia (Daniel Carvalho, 43′ 1º/T); Luan ( Maikon Leite, 27′ 2º/T) e Fernandão. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

 

Os gols da partida

Comentários

comentários