Verdão sofre susto, se recupera e elimina jogo de volta. Agora é esperar o adversário das oitavas.

Por Thiago Gomes

O Palmeiras não teve uma grande e bela exibição, mas dominou a partida e conseguiu vencer o time do Horizonte por dois gols de diferença, eliminando o confronto em São Paulo. Agora, o Palestra aguarda o adversário, que pode ser tanto Paraná quanto o Ceará. Ambos ainda se enfrentarão.

O jogo

Felipão optou pela entrada de João Vitor no lugar de Valdívia. Maikon Leite foi para o banco, e Barcos comandou o ataque. Com um time menos ofensivo, o Verdão, mesmo assim, partiu para o ataque. Daniel Carvalho teve duas grandes chances logo de cara, e desperdiçou. O Palmeiras mantinha toda posse de bola e levava perigo.

Na primeira vez que o time cearense desceu, marcou: bola na área mal afastada por Leandro Amaro. Mateus Gadelha acertou a orelha da bola e mandou no canto. Antes disso, Vanger participou do lance e estava em completa posição de impedimento. O Horizonte abria o placar: 1 a 0.

O Palmeiras teve maturidade e sabia que virar o jogo era questão de tempo. Cicinho tabelou com Daniel Carvalho, que devolveu o passe de letra. Desequilibrado, o lateral palmeirense tocou fraco na bola, mandando para a linha da meta. Aos 34, Assunção bateu escanteio e Leandro Amaro subiu no 24º andar, cabeceando firme e empatando a partida. 1 a 1.

Após o empate, o Palmeiras tentou de diversas maneiras, mas não conseguia ter objetividade. O adversário começou a catimbar, cair no chão, simular faltas. O Verdão, por sua vez, compreendeu a postura adversária e resolveu “pisar no freio”, levando a decisão para a segunda etapa.

O Palmeiras voltou sem mudanças para o segundo tempo. Logo no início, o Horizonte ameaçou duas vezes: uma delas, com muito perigo. Vanger chutou forte, perigosamente, e Deola defendeu. Percebendo que o time deveria abrir pelas pontas com velocidade e destroncar o meio campo, o técnico palmeirense sacou Wesley e Barcos para as entradas de Maikon Leite e Ricardo Bueno.

Quem mais sentiu foi Daniel Carvalho. Perdeu a referência e estava nitidamente cansado. Mas, Maikon Leite sofreu falta pela lateral. Assunção bateu e Amaro, de novo, empurrou para as redes, virando o jogo para o Palestra: 2 a 1.

Aos 26, uma pintura! Maikon Leite arrancou e tocou para Bueno. O atacante palmeirense devolveu com um toquinho e fez a parede. Leite chegou e mandou de chapa, no canto esquerdo do goleiro. Virada espetacular: 3 a 1 Palmeiras, no Ceará.

Na frente, o Palmeiras manteve as ações da partida. O técnico adversário, Roberto Carlos, sacou o lateral direito e mandou mais um atacante. A meta direita ficou aberta para Maikon Leite. Mas quem não cooperava mais era Daniel Carvalho, visivelmente cansado. Felipão sacou e colocou Pedro Carmona, tentando melhorar as ações e construções pelo meio campo.

O Horizonte ainda tentou no fim, aproveitando uma falha de Deola. Mas o juiz encerrou.

O Verdão, assim, elimina o jogo de volta contra os cearenses e tem uma semana completa de treinos. Domingo, o Palmeiras vai até o Brinco de Ouro da Princesa enfrentar os donos da casa, o Guarani. Uma vitória será importante para escolher o adversário da segunda fase do Paulistão 2012.

Frases

“Vou fazer 36 anos e o que acontece é fruto do treinamento diário, com muita persistência. Eu trabalho bastante e, em jogo difícil como o de hoje (quarta), tenho de colocar da melhor maneira na cabeça dos zagueiros, para que façam os gols”, Marcos Assunção.

“É assim que tem de ser. A maioria dos times gostaria de ter um batedor de faltas que pega bem na bola. O Horizonte não é ruim, não tem bobo no futebol. Eu posso ajudar de alguma maneira em jogos assim”, Marcos Assunção.

“O time foi bem no primeiro tempo, só não teve a felicidade de fazer os gols. Tivemos duas chances com o Daniel Carvalho, uma com Wesley, uma com Assunção, outra com Cicinho… Nós tomamos o gol no contra-ataque, mas viramos a partida. No segundo tempo, eu sabia que a equipe melhoraria com a velocidade do Maikon, que entrou bem”, Felipão.

“Achei que o Barcos não estava rendendo como nos outros jogos e foi interessante a movimentação do Ricardo Bueno. A entrada do Maikon já era prevista. Começamos de uma forma diferente para dar ritmo ao Wesley e para ver como a equipe se comportaria com dois armadores, sendo quem um deles chegaria ao centroavante”, Felipão.

 

FICHA TÉCNICA
HORIZONTE-CE 1 X 3 PALMEIRAS

Local: Estádio Horácio Domingos de Sousa, em Horizonte (CE)
Data: 4 de abril de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Marco Mello Moreira (GO)
Cartões amarelos: Mateus, Douglas (Horizonte). Marcos Assunção, Juninho, Barcos (Palmeiras)
GOLS: HORIZONTE: Mateus, aos 17 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Leandro Amaro, aos 33 minutos do primeiro tempo e aos 22 minutos do segundo tempo. Maikon Leite, aos 26 minutos do segundo tempo

HORIZONTE-CE: Jefferson; João Paulo (Jean), Douglas, Albano e Jhony; Válter, Mateus, Rafael Tchuca (Da Silva) e Elanardo (Vanderlei); André Cassaco e Vanger
Técnico: Roberto Carlos

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor, Wesley (Maikon Leite) e Daniel Carvalho (Pedro Carmona); Barcos (Ricardo Bueno)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Comentários

comentários