Verdão joga mal, mas juiz ajuda bastante o Comercial. O adversário será o Guarani, fora de casa, pelas quartas-de-final do Paulista-12.

Por Thiago Gomes

O Palmeiras empatou em casa com o Comercial de Ribeirão Preto, em 2 a 2. Porém o resultado não reflete exatamente o que foi a partida. Por mais que o time alviverde não tenha feito excelente exibição, o árbitro cometeu falhas graves: o primeiro gol do Comercial surgiu de uma falta em cima do zagueiro Leandro Amaro. Aos 50 do segundo tempo, quando a partida estava sendo encaminhada para o empate, Henrique fez gol legítimo, de cabeça, e foi anulado. Na segunda etapa, ainda, Henrique sofreu pênalti claro, assim como Leandro Amaro, também não assinalados.

O jogo

O Comercial entrou em campo já rebaixado. Durante a semana, os atletas ameaçaram uma greve, mas viajaram para São Paulo visando o jogo contra o Palmeiras. E por incrível que pareça, jogaram melhor durante todo primeiro tempo. Aos 36 minutos, falta em Leandro Amaro no campo de ataque. O juiz José Cláudio Rocha Filho deixou passar e o adversário partiu para o contra ataque. Leandro disparou e viu Acosta livre. Passou e o jogador mandou para as redes, no canto oposto de Deola: 1 a 0.

Felipão optou por Pedro Carmona e Chico como titulares. Mas a ideia não rendeu e o Palmeiras foi bastante penalizado. Tentando sempre as mesmas jogadas, o Verdão não conseguiu sair dos tentáculos do adversário.

Fernandão entrou no lugar de Carmona no intervalo, e o Palmeiras viu o Comercial perder dois atletas logo de início: Marcelo Labarthe já tinha cartão e fez falta feia em Arthur. Leandro Camilo, na sequência, deu uma tesoura em Maikon Leite e foi para o chuveiro mais cedo. Ou seja, o Comercial jogaria mais 38 minutos sem dois atletas, facilitando a vida do Verdão.

Mesmo com uma enorme vantagem, o time de Felipão não conseguiu atacar corretamente. Aos 17, Felipão tirou Maikon Leite e colocou o jovem Vinícius. A torcida não gostou e vaiou o treinador palmeirense. O atacante nada fez e a dificuldade, mais uma vez, aumentou. O time tentava pelo meio, local que estava bastante atravancado. O certo era abrir o jogo e atacar pelas laterais.

Aos 42, na agonia, Fernandão empatou no Pacaembú, após cruzamento de Tinga: 1 a 1. Com o empate, o time palmeirense deveria ter ido com tudo para cima do adversário, mas não conseguiu, de novo, desenrolar as ações. Aos 47, escanteio cobrado pelo Comercial. Leandro Amaro não alcançou, Diogo Acosta dominou e chutou rasteiro. Juninho colocou o pé e a bola entrou. 2 a 1 Comercial.

Aí os jogadores palmeirenses partiram para o desespero. Aos 47, Henrique desviou de cabeça e empatou de novo a partida. 2 a 2.

Aos 51, Assunção mandou bola na área e Henrique, mais uma vez, mandou para as redes. O juiz anulou o gol erroneamente, já que o zagueiro estava em posição legal.

Com o empate, o Palmeiras enfrentará o Guarani pelas quartas-de-final do Paulista 2012 em jogo único, em Campinas. A Federação Paulista de Futebol ainda não marcou a data do confronto.

Frases

“Fomos mal. Pronto. Se quiserem dar nota para mim neste domingo, é zero. Fico até satisfeito. Sobre meus jogadores, tenho de dizer que na ânsia por empatar, não se posicionaram corretamente, já que queriam fazer o gol. Mas eles lutaram até o fim. E me parece que fizemos três gols e validaram somente dois,” Luiz Felipe Scolari.

“Temos de trabalhar para que possamos fazer algo de diferente. Mas não posso dizer que vai acontecer isso. O torcedor tem razão. Do jeito que jogamos, não passaríamos de faze alguma. Vou dizer o que? Erramos em bola que vínhamos errando. É analisar e fazer uma ou duas mudanças, alterar quem sabe uma situação do esquema. De bom, o Fernandão entrou bem. A torcida que xingou e vaiou, tem o meu aval,” Luiz Felipe Scolari.

“Jogamos quase um tempo inteiro com dois a mais e não conseguimos transformar em vitória. Temos de estar com vergonha”, Marcos Assunção, volante.

“Vamos treinar e trabalhar bem a cabeça. Do jeito que está, não tem como chegar a uma final de campeonato. Vamos jogar contra o Guarani e sabemos o que nos espera”, Marcos Assunção, volante.

Análise

Henrique estava em posição legal quando marcou o terceiro gol do Palmeiras contra o Comercial.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 2 COMERCIAL-SP

LOCAL: Pacaembu (SP)
DATA/ HORA: 15/04/2012, às 16h
ÁRBITRO: José Cláudio Rocha Filho (SP)
ASSISTENTES: João Bourgalber Chaves (SP) e Maria Nubia F. Leite (SP)

Renda/Público: R$ 197.395,00 / 5.363 pagantes
Cartões Amarelos: Marcos Assunção, Henrique, Leandro Amaro e Fernandão (PAL); Marcel, Alex, Henrique Motta, Marcelo Ferreira, Diogo Acosta e Marcelo Labarthe (COMl)
Cartões Vermelhos: Marcelo Labarthe, aos 3’/2ºT e Leandro Camilo, aos 7’/2ºT (Comercial)
GOLS: Diogo Acosta, aos 36’/1ºT (0-1); Fernandão, aos 42’/2ºT (1-1); Diogo Acosta, aos 45’/2ºT (1-2) e Henrique, aos 47’/2ºT (2-2)

PALMEIRAS: Deola, Artur (Tinga, aos 26’/2ºT), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Chico, Marcos Assunção, Pedro Carmona (Fernandão, Intervalo) e Daniel Carvalho; Maikon Leite (Vinícius, aos 17’/2ºT) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

COMERCIAL-SP: Alex, Marcelo Ferreira, Leandro Camilo, Fabão (Marcel, aos 18’/1ºT) e Rafinha (Wellington, aos 23’/2ºT); Marcelo Labarthe, Jeffinho (Baratella, aos 9’/2ºT), Henrique Motta e Ricardo Conceição; Leandro e Diogo Acosta. Técnico: Gil Baiano.

Comentários

comentários