Verdão vence Paraná fora de casa e fica bem perto de vaga nas quartas.

O Palmeiras voltou a vencer e bateu o Paraná Clube fora de casa, por 2 a 1, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. Para se classificar, o Verdão pode até perder por 1 a 0 que estará nas quartas.

O jogo

Felipão resolveu sacar Deola por causa das últimas falhas. Bruno entrou como titular. Ao lado de Barcos, Mazinho promoveu sua estreia. O Palmeiras impôs um maior volume de jogo na primeira etapa, mas quem começou atacando foi o adversário. Alex Alves chutou de longe e a bola foi no ângulo. Bruno, agora titular, foi buscar e tirou o gol. Na sequência, Valdívia deu belo passe para Barcos, que desperdiçou.

O meia-atacante Mazinho se movimentava bastante. Caía pela esquerda, pelo meio e acabou confundindo um pouco a zaga paranaense. Teve até uma grande chance, driblando dois defensores paranaenses e ficando na cara do gol. Mas acabou chutando fraco, facilitando a vida de Thiago Rodrigues.

Aos 21, o Palestra abriu o placar: falta pela intermediária. Campo molhado. Assunção bateu, a bola tocou o solo e Thiago Rodrigues nem viu: 1 a 0 Verdão. O Paraná ficou incomodado com o gol e tentou sair para o jogo com mais velocidade. Mas o Palmeiras dominou o meio campo e impediu as ações do adversário. Luisinho chegou a ameaçar Bruno, chutando bola perigosa na trave, mas nada que assustasse a meta.

Na sequência, Assunção reclamou de dores no pé e na costela e pediu para ser substituído. O volante sofreu duas pancadas diante do Guarani, domingo passado, e jogou no sacrifício. Assim que saiu, Assunção viu o Paraná empatar: depois de jogada pela direita, bola cruzada rasteira para área. A defesa, totalmente mal armada, viu Nilson concluir com perfeição. Bruno envergou e pegou, dando rebote. Luisinho, sem marcação, empurrou com tranquilidade para as redes, empatando o pleito: 1 a 1. Antes do final da primeira etapa, o Palmeiras teve duas chances, uma com Barcos e outra com Henrique.

Mas a primeira parte do jogo terminou empatada. Os times voltaram sem alterações. Mazinho, com forte marcação, não produzia mais. A alternativa foi jogar em Valdívia. Mas o chileno errava passes primários, curtos, e não conseguia servir Barcos. Aos 18, Douglas bateu falta e mandou no ângulo. A sorte foi que a bola estourou na trave e acabou saindo.

Por incrível que pareça, o Palmeiras dominava a partida trocando mais passes e mantendo o tráfego pelo meio campo. O adversário parecia bastante satisfeito com o empate. Mazinho, na sequência, fez boa jogada e cruzou para Barcos. Travado, o argentino resvalou na bola e quase marcou. Thiago Rodrigues fez bela defesa, e nenhum jogador de verde apareceu para empurrar.

Barcos, cansado, saiu e deu lugar à Fernandão. Dois minutos depois, pênalti para o Palmeiras: Henrique Alemão vacilou, Patrick roubou a bola e foi derrubado dentro da área. Ninguém quis bater, até que apareceu Henrique. O zagueiro encheu o pé e marcou, fazendo o segundo gol palestrino na partida: 2 a 1. Felipão então mandou Román no lugar de Cicinho, que definitivamente não fazia boa partida.

O Verdão ainda teve duas chances de fazer mais um gol, mas a partida finalizou com vitória verde. O resultado deixa o Palmeiras bem sossegado para o jogo de volta, dia 09 de maio, em Barueri. O Verdão pode até sair derrotado por 1 a 0 que, ainda assim, estará classificado. Caso a classificação seja concretizada, o adversário será Atlético-PR ou Cruzeiro.

 

Frases

“(Bruno) Provavelmente permanece nesse momento, mas isso não quer dizer que o Deola não tenha possibilidade de entrar na equipe. Substituição do goleiro é igual a tirar lateral, centroavante…,” disse Felipão;

“Se a gente perdesse, hoje todo mundo iria falar do bigode do Valdivia (risos). Eu me senti bem. No fim, cansei um pouco, mas aguentei os 90 minutos e acho que fiz uma partida boa. Depois de domingo, ficou difícil. É bola para frente. Ganhamos e temos de aproveitar,” disse Valdívia;

“Fiquei satisfeito. Foi bom. Fazia um pouco mais de um mês que eu não jogava (na verdade mais de dois meses – a última atuação havia sido dia 23 de fevereiro, no empate por 1 a 1 com o Oeste). O campo estava bem pesado. Choveu o dia inteiro e a bola estava bem molhada. Foi bom. Eu quero jogar e ser titular do Palmeiras e fazer história aqui neste clube,” disse o goleiro Bruno;

 

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 1 x 2 PALMEIRAS

Local: Durival de Britto, Curitiba (PR)
Data/Hora – 25/4/2012 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Chaves Franco Filho (RS)

Renda e Público: R$ 372.010,00 /  12.818 pagantes
Cartões Amarelos: André Vinícius, Henrique Alemão (Paraná); Cicinho e Valdivia (Palmeiras)
Cartões Vermelhos: Não houve
GOLS: Marcos Assunção, aos 20’/1ºT (0-1); Luisinho aos 39’/1ºT (1-1) e Henrique aos 32’/2ºT (1-2)

PARANÁ: Thiago Rodrigues, Paulo Henrique, André Vinícius, Alex Bruno (Henrique Alemão, aos 19’/2ºT) e Henrique; Alex Alves, Douglas Packer, Wendell (Fernandinho, aos 20’/2ºT) e Luisinho; Elias e Nilson. Técnico: Ricardinho.

PALMEIRAS: Bruno, Cicinho (Román, aos 38’/2ºT), Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção (Patrik, aos 36’/1ºT), João Vítor e Valdivia; Mazinho e Barcos (Fernandão, aos 29’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Comentários

comentários