Técnico e diretoria divergem sobre renovação de contrato no final do ano e esquentam ambiente.

Por Thiago Gomes

O técnico Luiz Felipe Scolari sempre reclamou que os assuntos internos do clube atrapalhavam demais o ambiente dos jogadores e comissão técnica. Porém, no domingo, quem ateou fogo no ambiente foi o próprio treinador, ao confirmar que não ficará no clube em 2013 e que já tinha conversado com dirigentes sobre a não renovação.

Roberto Frizzo, vice de futebol, tentou minimizar as consequências da declaração.

“Ele não disse isso, tudo segue normal, mas aqui no Palmeiras qualquer coisinha vira uma fumaça, vira polêmica. O Felipão sabe como é aqui no Palmeiras. Ele tem mais sete meses de contrato”, disse.

Já o goleiro Bruno confirmou que as declarações do técnico não influenciaram negativamente os jogadores, e que o Palmeiras segue sua preparação normal para enfrentar o Atlético-PR nesta quarta, pelo segundo jogo das quartas-de-final da Copa do Brasil 2012.

“Está tudo tranquilo dentro do vestiário. Temos conseguido manter o que é de fora longe do vestiário. O que o Felipão passa para a gente é a vontade de vencer que ele tem e que nós também temos”, disse o arqueiro verde.

Felipão já tinha feito uma declaração polêmica mesmo após vitória de goleada diante do Paraná, por 4 a 0, na Arena Barueri. O treinador pediu para a diretoria assumir a falta de recursos financeiros para a torcida, evitando assim carregar toda pressão pela falta de atletas de qualidade no elenco.

“Espero que os dirigentes tenham hombridade de vir aqui e falar que não tem dinheiro”, disse.

E é com esse clima que o Verdão tentará vaga nas semifinais, diante dos paranaenses, em Barueri. Hernán Barcos será desfalque, suspenso. Mazinho deverá ser substituto, formando dupla com Maikon Leite no ataque. Betinho e Luan são opções.

Comentários

comentários