Em 2014, o Palmeiras lutou contra o rebaixamento até o fim do Campeonato Brasileiro. Neste ano, tudo tem sido diferente: fez contratações de peso, foi vice-campeão paulista, briga pelo G-4 no torneio nacional e disputa a reta final da Copa do Brasil. Apesar disso, o alviverde chega para a partida desta quarta-feira (28), diante do Fluminense, pelas semifinais da competição mata-mata, sob grande pressão da torcida.

LEIA MAIS:
Quer trabalhar com futebol e ganhar no mínimo R$ 2.300,00 por mês? Saiba como, clique aqui

“A paciência acabou” e “quarta-feira virou obrigação” são alguns dos gritos ouvidos pelos jogadores no Allianz Parque nos últimos jogos. A volta do Palmeiras ao cenário da briga por títulos e a melhora da situação dentro e fora de campo trouxeram consigo expectativas. A pressão nasce da própria evolução e dos sucessos do clube em 2015.

1) Avanti e estádio lotado

O programa de sócio-torcedor do Palmeiras, chamado Avanti, teve uma ascensão meteórica e está entre os três maiores do país. As ações de marketing do plano, com ajuda do time competitivo, trouxeram o torcedor ao estádio – a média de público do alviverde é a melhor do Brasileirão. O ingresso, entretanto, também tem o preço médio mais alto do país, segundo levantamento do Footstats. Ao longo do ano a torcida protestou contra os preços algumas vezes, mas nunca deixou de comparecer ao estádio. Agora, cobra mais resultados em campo.

2) Elenco qualificado

O Palmeiras contratou 25 jogadores para a temporada, alguns deles destaques de outras equipes e nomes de peso como Dudu, Arouca, Zé Roberto e Barrios. Um comunicado de protesto das organizadas na derrota diante da Ponte Preta citava o elenco “superior ao dos rivais”. Para o palmeirense, o plantel tem condições de brigar pelo título da Copa do Brasil ou, no mínimo, assegurar uma vaga na Libertadores com relativa tranquilidade.

3) Situação financeira estável

A torcida do Palmeiras assistiu aos problemas financeiros dos rivais Santos, São Paulo e Corinthians ao longo de quase toda a temporada. Ao contrário deles, o alviverde não atrasou salários, honrou seus compromissos e proporcionou um clima estável para que os jogadores trabalhassem. A torcida reconhece isso e até o protesto das organizadas cita o fato ao falar que “nossos rivais durante toda a temporada tiveram problemas financeiros absurdos”.

Felizmente para o alviverde, durante os 90 minutos da quarta-feira, no Allianz Parque, essa pressão estará focada no adversário, o Fluminense. Uma vitória por 1 a 0 garante uma vaga na final e dá um passo para satisfazer o exigente torcedor palmeirense, que cobra que os avanços do Palmeiras em 2015 rendam frutos dentro de campo.

Fonte: UOL Esporte

Comentários

comentários