Na mesma época da temporada, no ano passado, Verdão lutava contra o rebaixamento. Hoje, time está na final da Copa do Brasil e luta pelo G-4

De quase rebaixado no Campeonato Brasileiro de 2014 para vice-campeão paulista, finalista da Copa do Brasil e concorrente por uma vaga no G-4 do Brasileiroão de 2015. Um ano depois de amargar um fim de temporada de centenário bastante melancólico, o Palmeiras festeja nova realidade e consolida a reformulação iniciada pelo clube há um ano.

No dia 2 de novembro do ano passado, o Verdão entrou em campo na Fonte Nova, em Salvador, para enfrentar o Bahia, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O que nem o mais pessimista dos torcedores alviverdes imaginava é que a vitória por 1 a 0, gol de Mazinho com assistência de Valdivia, seria o último triunfo do time então comandado por Dorival Júnior na temporada. Até o fim do torneio, foram mais cinco derrotas e um empate, com a permanência na elite garantida somente após o fim da partida contra o Atlético-PR.

LEIA MAIS:
Nobre fala sobre a chegada de novos reforços
Palmeiras vende quase 20 mil ingressos para jogo contra o Vasco
Nobre se reaproxima do SP e lê piada sobre show

Hoje a realidade é totalmente diferente. O Palmeiras chega ao penúltimo mês da temporada brigando por grandes objetivos nos dois campeonatos restantes. No Brasileirão, os recentes tropeços fizeram a equipe de Marcelo Oliveira cair para a nona colocação, cinco pontos atrás do Santos, primeiro integrante do G-4. Mas na Academia de Futebol o discurso ainda é de confiança por uma vaga na zona de classificação para a Taça Libertadores da América.
Já na Copa do Brasil, o Verdão disputa com o Peixe o último troféu nacional de 2015 – as finais serão no dia 25 de novembro, na Vila Belmiro, e no dia 2 de dezembro, na arena.
– Estamos colhendo os frutos de tudo o que plantamos em 2013/2014. Palmeiras não chegou à toa, não é sorte. É muito trabalho – afirma o presidente Paulo Nobre.
Confira alguns dos pontos que consolidam a reformulação palmeirense:

REESTRUTURAÇÃO
A mudança foi grande dentro e fora de campo. Para o elenco, foram 25 contratações e mais de 20 atletas negociados. Na área administrativa, Paulo Nobre, reeleito em novembro para um mandato de mais dois anos, trocou o comando do departamento de futebol. Saíram José Carlos Brunoro e Omar Feitosa para as chegadas de Alexandre Mattos e Cícero Souza.

TIME NOVO
Da equipe que entrou em campo no dia 7 de dezembro para empatar com o Atlético-PR e contar com o apoio do Santos, que venceu o Vitória, para se manter na Série A, apenas Fernando Prass continua entre os titulares. João Pedro, Nathan e Mouche continuam no grupo, mas como opções entre os suplentes. Já Victorino, Lúcio, Gabriel Dias, Renato, Valdivia, Wesley, Mazinho e Henrique não fazem mais parte do elenco, assim como Dorival Júnior. O Verdão de Marcelo Oliveira deve enfrentar o Vasco no domingo com Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Robinho, Zé Roberto e Rafael Marques; Gabriel Jesus e Lucas Barrios.

ARENA
Após quatro anos longe de casa, o Palmeiras voltou a atuar no antigo Parque Antarctica no dia 19 de novembro de 2014. Mas, o que poderia ser um aliado acabou aumentando ainda mais a pressão para o time alviverde. O resultado dentro de campo não foi nada satisfatório: derrota para o Sport e empate com o Atlético-PR. Em 2015, o espírito mudou, e a moderna arena é apontada por muitos como um dos grandes trunfos do Verdão na temporada. Com presença média de 30 mil torcedores por jogo no estádio, o Verdão tem ótimo retrospecto em mata-mata no local: são seis vitórias (Botafogo-SP, Santos, Sampaio Correa, Cruzeiro, Internacional e Fluminense) e um empate (ASA).

DINHEIRO
Depois de encontrar dificuldades nas finanças durante o primeiro mandato, o presidente Paulo Nobre começou 2015 com o caixa reforçado. O clube conseguiu patrocínio para todos os espaços da camisa alviverde e viu o programa de sócio-torcedor se consolidar como um dos maiores do país. Além disso, ganhou o apoio financeiro da Crefisa, patrocinador máster, em contratações e renovações.

BASE
Um dos poucos, talvez o único, pontos positivos do Palmeiras em 2014 foi a promoção de talentos das categorias de base ao elenco profissional. Com pouca experiência, Fabio, João Pedro, Nathan, Gabriel Dias, Victor Luis e Renato foram lançados ao time profissional e deram conta do recado. Para 2015, o Verdão manteve a integração com as divisões inferiores, promovendo nomes como Gabriel Jesus, Lucas Taylor e Matheus Sales.

PLANEJAMENTO
O Palmeiras fecha 2015 bem diferente de 2014. E um dos principais aspectos positivos do grupo é a manutenção de uma base para a próxima temporada. Fernando Prass, Vitor Hugo e Zé Roberto já renovaram vínculo e têm permanência assegurada. Nomes como Lucas, Arouca, Gabriel, Robinho, Cleiton Xavier, Dudu, Allione, Gabriel Jesus e Lucas Barrios possuem vínculo longo e só deixam o clube caso apareça alguma proposta do exterior. Dos atletas de destaque, apenas Rafael Marques, emprestado pelo Henan Jianye, da China, até dezembro, tem situação indefinida.

Fonte: Globo Esporte

Comentários

comentários