Mais tempo de mandato para os próximos presidentes, menos vices, menos conselheiros vitalícios, mais diretores remunerados… Conheça o novo texto e saiba como será a votação

LEIA MAIS:
Paulo Nobre faz novo empréstimo no Palmeiras
Palmeiras aplicou chapéu em dois rivais, diz site
Palmeiras busca reforços para ‘abastecer’ Cuca
COMPRE AGORA! Camisas do Palmeiras com desconto diretamente da loja oficial. Confira
Que tal trabalhar com futebol e ganhar mais de R$ 2.000,00 por mês? É possível. Clique aqui

O Palmeiras levará a votação no segundo semestre uma profunda mudança em seu estatuto. O novo texto, elaborado desde 2013 por uma comissão formada por 23 conselheiros, será submetido primeiro à aprovação do Conselho Deliberativo e depois aos sócios do clube. Ainda não há data marcada, mas a expectativa é de que o processo seja concluído até agosto.

Entre as propostas, estão o aumento do mandato de presidente de dois para três anos e a diminuição no número de vice-presidentes de quatro para dois. Há também a diminuição no número limite de conselheiros vitalícios, de 148 para 100, e a redução das diretorias estatutárias para oito – hoje são 26.

No início, havia a ideia de dar poder de voto aos sócios-torcedores nas eleições presidenciais. Essa proposta, porém, não avançou.

Se aprovado, o novo estatuto terá um artigo que dá ao presidente a possibilidade de propor ao Conselho a criação de novos cargos remunerados para tornar a administração do clube mais profissional.

Paulo Nobre dividiu o Conselho em vários grupos e promoveu reuniões setoriais para apresentar o novo estatuto. O último encontro foi realizado na terça-feira.

O texto será debatido nas próximas reuniões do Conselho e depois irá a votação. As propostas que causarem divergência e não forem aprovadas pelos conselheiros serão votadas separadamente pelos sócios. Exemplo: se o aumento do mandato de presidente para três anos não for bem aceito no CD, o sócio poderá aprovar o restante do estatuto e decidir, em votação à parte, sobre o aumento de mandato.

É possível que as próximas eleições no clube, em novembro, já obedeçam o novo estatuto. Paulo Nobre ainda não decidiu quem será o seu candidato: a disputa está entre os vices Mauricio Galiotte e Genaro Marino, mas o mandatário evita comentar o assunto até com pessoas consideradas próximas.

Lei da Ficha Limpa
“Não ter sofrido, nos últimos dez anos, qualquer penalidade administrativa grave, e não tenha, no mesmo prazo, sido condenado por qualquer crime, nos termos da legislação em vigor”. No texto do novo estatuto do Palmeiras, esses pré-requisitos são válidos para todos os cargos eletivos: conselheiro, membro do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), presidente, vice-presidente, entre outros. É uma espécie de Lei da Ficha Limpa.

Outro artigo que chama atenção é o que proíbe o uso de camisas de outras equipes nas dependências do clube, inclusive os internacionais. Se aprovada a proposta, os sócios poderão usar no máximo camisas de seleções quando forem ao Palmeiras.

RESUMO DO NOVO ESTATUTO:

Eleições
Texto do novo estatuto propõe que o presidente fique no cargo por três anos, com direito a uma reeleição. Atualmente, são dois anos e uma reeleição. Além disso, passariam a ser dois vices, e não os quatro atuais.

Ficha Limpa
Para ocupar qualquer cargo eletivo no Palmeiras, como conselheiro, membro do COF, presidente ou vice-presidente, será preciso ter a ficha limpa nos últimos dez anos, tanto no regimento interno quanto na legislação em vigor.

Sócios
Atualmente, o sócio precisa de três anos de clube para poder votar e de oito anos para se candidatar ao Conselho. Esses prazos diminuiriam, respectivamente, para dois e seis anos.

Aqui é Palmeiras!
Os sócios não poderão mais transitar nas dependências do clube trajando uniformes de outras equipes, o que passará a ser considerado infração grave. Só serão permitidos uniformes de seleções.

Mais profissional
Pelo novo documento, o Palmeiras passaria a ter apenas oito diretorias estatutárias: administrativa, financeira, jurídica, de planejamento, social, de marketing e comunicação, de futebol e de esportes. Hoje, são 26. Em paralelo, o presidente poderá propor a criação de novos cargos remunerados (superintendências, gerências e divisões), a serem aprovados pelo Conselho Deliberativo.

Uniformes
Descreve o uniforme um com camisa verde esmeralda, calção branco e meias verdes, e o uniforme dois com camisa branca, calção verde e meias brancas. Terceiro uniforme: será permitido usar outras cores, “respeitando-se as tradições”. Cinza, por exemplo, não se encaixa.

Fonte: Lancenet!

Comentários

comentários