Cuca desiste de treino no Allianz e diz à WTorre: ‘Campo tem de estar bom’

Técnico cogitava fazer a última atividade antes do jogo contra o Sport no estádio, mas mudou de ideia para preservar o gramado. Ele repetiu as críticas feitas depois da partida de quarta Allianz Parque

0
810
O jogador Lucas Barrios, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do EC Vitória, durante partida válida pela décima nona rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, na Arena Allianz Parque.

Cuca voltou a criticar a condição do gramado do Allianz Parque e disse que até desistiu de treinar na arena antes do jogo contra o Sport. Segundo ele, a ideia era fazer a última atividade do Palmeiras, deste sábado, na arena, mas para preservar o campo seu plano não foi levado à frente.

Caso quisesse de fato treinar na arena, o clube teria de pedir a autorização da WTorre. Em 2015 já houve divergência por isso
– Eu lembro de uma bola (contra o Grêmio) que deram no pé do Barrios e deu quase no pescoço dele. O campo é bom, mas quando entra e pisa nele solta toda a grama, porque não é cuidado como um campo de futebol tem de ser. É mais para espetáculo do que para campo de futebol. Eles têm de entender que nos últimos sete jogos o Palmeiras precisa do campo, mais do que dos shows. O campo tem de ser bom e o nosso não está bom – reclamou.

Na última semana, a arena recebeu shows de Andrea Bocelli e da banda Aerosmith, por isso as marcas no gramado. O técnico até se surpreendeu quando foi informado que Mariah Carrey e Guns’N’Roses ainda vão se apresentar no Allianz neste fim de ano.

Depois do empate com o Grêmio, Cuca não quis encontrar desculpas para a eliminação, mas disse que o gramado estava “horrível”. A WTorre, por sua vez, divulgou uma nota em que dizia que o campo apresentava condições técnicas e de segurança para que a partida acontecesse.

O discurso não foi o suficiente para convencer o treinador, que cobrou à construtora melhores condições. Diante destes recentes problemas, Cuca foi questionado se mandaria as últimas partidas do Brasileiro no Pacaembu, onde o campo é bom, mas o técnico não mostrou cogitar a hipótese.

– Aí eu tenho que conversar com o Mattos e com o presidente. Com certeza eles não estão contentes também. Quando eu reclamo do campo, não é o presidente o responsável, é a WTorre, é com eles que eu reclamo. Nossa condição de campo não está boa e tem de ser pensado no futebol nesta reta final – acrescentou.

Comentários

comentários