Quem foi ao Palestra Itália neste sábado de Carnaval esperando ver a estreia de Miguel Borja saiu mais do que satisfeito pelo jogo coletivo apresentado pela equipe e o gol logo no primeiro jogo do colombiano. Aos gritos de “Olê-lê Olá-lá o Borja vem aí, e o bicho vai pegar”, o colombiano entrou em campo na metade do segundo tempo e, com 15 minutos no gramado, anotou o terceiro gol alviverde na goleada por 4 a 1 sobre a Ferroviária, pelo Campeonato Paulista.

Usando a camisa 12 eternizada por São Marcos no Palmeiras, Borja não vinha participando tanto do jogo, mas já levantava a torcida a cada toque na bola. O ápice veio aos 37 minutos, momento em que a Ferroviária esboçava uma reação e tentava o empate. O colombiano ganhou bola no meio-campo, tocou para Dudu, e avançou pela direita. O centroavante recebeu do camisa 7, olhou para o goleiro e finalizou com calma, de pé direito, para fazer seu primeiro gol pelo Verdão.

Mostrando triangulações e trocas de posicionamento não vistas no clássico contra o Corinthians, o time alviverde criou diversas oportunidades, principalmente na etapa inicial, quando Fernando Prass foi um mero espectador e as constantes trocas entre Zé Roberto e Egídio, bagunçaram o sistema defensivo da Ferroviária.

Foi justamente com uma triangulação entre Willian, Jean e Michel Bastos, que o atacante cruzou para Keno, de cabeça, abrir o placar aos 13 minutos do primeiro tempo. O Verdão ainda teve várias chances na primeira etapa, mas só voltou a marcar com Michel Bastos, de falta, já na etapa final, em jogada ensaiada com Jean.

Pouco depois, Alan Mineiro chutou da entrada da área e a bola bateu nos braços abertos de Michel Bastos. O árbitro anotou o pênalti indiscutível e, na primeira chance, o mesmo Alan Mineiro parou em Fernando Prass. O auxiliar, porém, mandou voltar o lance e, na segunda oportunidade, o jogador da Ferroviária diminuiu.

Após o gol de Borja, ainda houve tempo para o atacante Róger Guedes, que entrou no segundo tempo, deixar sua marca de cabeça em cobrança de escanteio, aos 40 minutos.

Foto: Alê Frata/Código 19 / Gazeta Press

O JOGO

Nos dez primeiros minutos, a Ferroviária se limitou a se defender no campo defensivo e não avançou nenhum jogador após a linha de meio-campo. O Palmeiras, no entanto, também não conseguia criar oportunidades e parava no ferrolho visitante.

A impressão é de que o Verdão sofreria com o mesmo problema do jogo contra o Corinthians, quando não conseguiu infiltrações para criar oportunidades de gol. Com 13 jogados, porém, o panorama da partida mudou quando o Palmeiras acertou sua primeira grande triangulação no jogo e abriu o placar.

Michel Bastos recebeu na direita e tocou de Willian e tocou de letra para a ultrapassagem de Jean. O lateral devolveu para o atacante, que adiantou muito a bola, mas alcançou e, na linha de fundo, cruzou para Keno, que subiu bem e mandou de cabeça para as redes.

Quatro minutos depois, o Palmeiras só não ampliou o placar pela falta de pontaria de William. Em mais uma boa jogada de Michel Bastos, o meia deu lindo lançamento para Dudu, que dominou no peito na entrada da área e, com categoria, chutou firme. Matheus fez bem a defesa, mas deu rebote, que caiu nos pés de Willian. O atacante bateu de primeira, mas a bola estava alta e acabou subindo.

Com muitas triangulações e trocas de posições, o Palmeiras seguiu pressionou muito pelo segundo gol, mas pecava na finalização. Aos 22 minutos, Keno recebeu linda enfiada de Dudu, driblou o goleiro Matheus, mas acabou perdendo ângulo para o chute. O atacante alcançou a bola, ajeitou o corpo e bateu de direita, mas o zagueiro Patrick conseguiu salvar em cima da linha.

Antes do final do primeiro tempo, o Palmeiras teve mais uma grande chance de marcar. Com 32 jogados, Edu Dracena ganhou a bola na intermediária e acertou belo passe para Willian, que saiu na cara do goleiro e finalizou. A bola foi para fora e Dudu, livre no meio da área, ficou na reclamação com o companheiro.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou a campo confortável com o resultado e não ofereceu perigo a Ferroviária. Com o Verdão sem mostrar a movimentação da etapa inicial, foi a Ferrinha quem assustou primeiro, aos 13 minutos. Capixaba fez jogada pela esquerda, cortou Jean e chutou forte de fora da área. A bola triscou a trave e assustou a torcida.

Se a Ferroviária não aproveitou sua oportunidade, o Verdão balançou as redes em sua primeira chance no segundo tempo. Em cobrança de falta, Jean rolou para trás e Michel Bastos soltou a bomba de canhota. O goleiro Matheus colaborou no lance e o Palmeiras ampliou sua vantagem, que teve dupla comemoração da torcida, que celebrou a entrada de Miguel Borja logo em seguida.

Pouco depois, Alan Mineiro chutou da entrada da área e a bola bateu nos braços abertos de Michel Bastos. O árbitro anotou o pênalti indiscutível e, na primeira chance, o mesmo Alan Mineiro parou em Fernando Prass. O auxiliar, porém, mandou voltar o lance e, na segunda oportunidade, o jogador da Ferroviária diminuiu.

Aos 37, com 15 minutos em campo, o colombiano ganhou bola no meio-campo, tocou para Dudu, e avançou pela direita. O centroavante recebeu do camisa 7, olhou para o goleiro e finalizou com calma, de pé direito, para fazer seu primeiro gol pelo Verdão. Por fim, ainda houve tempo para para o atacante Róger Guedes, que entrou na etapa final, deixar sua marca de cabeça em cobrança de escanteio, aos 40 minutos.

Comentários

comentários