Na raça, Palmeiras bate Jorge Wilstermann nos acréscimos e é líder do Grupo 5

Gol do zagueiro Mina foi marcado aos 52 minutos do segundo tempo

0
1675
SAO PAULO, BRAZIL - JULY 12: Yerry Mina of Palmeiras celebrates scoring the first goal during the match between Palmeiras and Santos for the Brazilian Series A 2016 at Allianz Parque on July 12, 2016 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Friedemann Vogel/Getty Images)


Foi na raça. Foi no coração. Foi nos acréscimos dos acréscimos que o Palmeiras venceu o Jorge Wilstermann por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, com um gol de Mina aos 52 minutos do segundo tempo.

Após o bom empate, dadas as circunstâncias da partida, na estreia, o Palmeiras tinha pela frente o líder da chave, que sapecou meia dúzia no tradicional Peñarol em casa. Eduardo Baptista apostou no meio com a criatividade de Tchê Tchê e no entrosamento do Guerra e Borja.

A primeira estocada do jogo foi do lateral Jean, que recebeu passe todo classudo de Michel Bastos e bateu cruzado com perigo, dando início à blitz do Verdão no começo do jogo. Acuado, os time boliviano mal passava do meio de campo.

Na primeira chegada, porém, Fernando Prass mostrou porque é intocável na meta palmeirense. Felipe Melo cometeu falta para parar sequência de dribles do brasileiro Thomaz. O camisa 10 lançou na área, Morales cabeceou para o meio da área e a bola, que bateu na cabeça de Mina, tinha endereço: as redes do goleiro arqueiro verde, que fez uma ponte linda e evitou o gol.

Basicamente, foi a única chance de gol do Jorge Wilstermann. No mais, era chute de Borja para fora, chute de Borja travado pela zaga, passe de Guerra e cabeçada de Borja por cima do gol, o que ajudou a terminar em branco uma primeira etapa em que apenas um time buscou o gol, mas esbarrou na fortíssima marcação adversária e na linha de impedimento, armadilha da qual o Verdão não conseguiu se livrar nos primeiros 47 minutos de jogo.

No segundo tempo, Felipe Melo fez um lançamento primoroso para Guerra. A defesa parou e o venezuelano, finalmente em posição legal, dominou e tentou dar um chapéu no goleiro, mas exagerou na força do toque e permitiu ao adversário se recuperar e ficar com a bola.

Dois minutos depois, em jogada ensaiada, Dudu lançou Mina, mas ele estava impedido quando recebeu o passe e o gol foi impugnado. Os bolivianos jogavam em linha constantemente.

Felipe Melo, com liberdade, era o grande armador do Palmeiras. Achou Jean na direita e o acionou, mas o lateral deixou a bola escapar e o goleiro conseguiu abafar o chute. Na cobrança de escanteio, Mina exigiu nova intervenção de Olivares. Aí Mina e Alex Silva se desentenderam e o jogo ficou parado por pelo menos três minutos, culminando em um par de cartões amarelos e a interrupção, naquele momento, da pressão do Palmeiras.

Keno e Roger Guedes entraram para dar fôlego novo ao ataque e, na primeira jogada dos dois, Keno deixou Guedes livre numa enfiada de bola em diagonal, mas, na hora de dominar, Roger Guedes pisou na bola, literalmente.

Conforme o tempo passava, e com o empate cada vez mais sendo um bom negócio, o Jorge Wilstermann caprichava na marcação e na cera. Já o Palmeiras tinha no relógio e na pressa dois adversários dos mais difíceis, o que ficou nítido quando Roger Guedes puxou um contra-ataque e correu afunilando com a bola, justamente onde estavam os defensores adversários.

De tanto tentar, de tanto correr (às vezes até mais do que deveria), o Palmeiras foi premiado com um gol aos 52 minutos. Dudu arrastou a marcação para dentro da área e cruzou. Na sobra, teve de tudo: reclamação de pênalti, chute torto de Keno na sobra, pivô de Felipe Melo, passe perfeito de Roger Guedes e o faro de gol do zagueiro Mina, que empurrou para o gol no último lance do jogo. 1 a 0 no placar e a liderança da chave 5, com 4 pontos.

Pela Libertadores, o Verdão volta a campo apenas no dia 12 de abril, quando recebe o Peñarol no Allianz Parque. Pelo Paulistão, tem o clássico com o Santos no domingo, às 18h30, na Vila Belmiro.

TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA, GRUPO 5
PALMEIRAS 1 x 0 JORGE WILSTERMANN-BOL
Quarta-feira, 15 de março de 2017, às 21h45 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP;
Arbitragem: Eduardo Gamboa (CHI), auxiliado por Claudio Rios e Edson Cisternas (ambos do Chile);
Ocorrências: cartões amarelos: Bergese, Thomaz, Cabezas, Alex Silva, Chavez e Olivares (Jorge Wilstermann); Mina (Palmeiras)
Cartão vermelho para Olego (Jorge Wilstermann)
Gols: Mina, aos 52 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê (Willian), Michel Bastos, Guerra e Dudu; Borja
Técnico: Eduardo Baptista
JORGE WILSTERMANN: Olivares; Morales, Alex Silva, Zenteno (Diaz) e Aponte; Machado, Ortiz e Saucedo; Bergese (Rudy Cardozo), Thomaz e Cabezas (Olego)
Técnico: Roberto Mosquera

Comentários

comentários