Palmeiras acertou ao contratar Felipe Melo, diz Mattos: “Um p… profissional”

Alexandre Mattos lembra dos questionamentos ouvidos na época em que negociava com o volante e destaca "sem medo de errar" o caráter e a liderança do jogador.

0
343

Homem forte do futebol do Palmeiras, o diretor Alexandre Mattos sabia que a ida do volante Felipe Melo para o clube poderia causar questionamentos, mas insistiu em acertar com o jogador, que voltou ao Brasil depois de 13 anos na Europa. Pouco mais de um mês depois da chegada do Pitt Bull, o dirigente vê a negociação como um acerto e vibra com a resposta rápida do jogador. No “Bem, Amigos!” desta segunda, ele elogiou o profissionalismo e o caráter do volante
.
– Quando a gente ousou e apostou, e hoje posso falar sem medo de errar, com muita certeza do Felipe Melo, que é um p… profissional, caráter, líder… Ouvi muita gente falar: “Pra quê (contratar ele), você tem o Moisés e o Tchê Tchê”. Na quarta rodada, a gente já não tem o Moisés e o Tchê Tchê, um fraturou o braço e o outro rompeu o ligamento. Por isso, precisa ter elenco. Se você tem capacidade financeira de ter equilíbrio, sem fazer muita loucura, tem que fazer para prevenir situações que são imponderáveis, que acontecem no futebol – considerou.

No clube desde janeiro de 2015, contratado após ter sido bicampeão brasileiro no Cruzeiro, o diretor de futebol usou o exemplo de Felipe Melo ao falar da necessidade de montar um elenco grande e qualificado. Para o dirigente, assim como a contratação do jogador, todo o processo de reformulação pelo qual o clube passou desde sua chegada teve uma boa pitada de ousadia, mas ajuda a explicar o momento atual e os recentes títulos nacionais (Copa do Brasil de 2015 e Brasileiro do ano passado).

– Tem de entender o contexto. Se a gente voltar no final de 2014, quando ficou todo mundo no estádio esperando o jogo de Vitória e Santos (o Alviverde escapou do rebaixamento na última rodada, graças ao resultado do Peixe em Salvador), todo mundo falou: “Tem que trocar tudo no Palmeiras”. Quando fui contratado, foi para fazer isso. Ficou marcado talvez pela forma agressiva como foi, que não é a correta de se fazer, pelo contrário. Meu sonho era não ter que contratar. Já pensou que maravilha o Palmeiras prontinho? Mas necessitava fazer aquilo naquele momento e precisava ser daquela forma, agressiva, de modificar o cenário inteiro. A gente tinha que mexer no elenco e na auto-estima do palmeirense. Mexemos e deu certo – explicou, destacando também o trabalho dos treinadores que passaram no clube no período.

Hoje, segundo Mattos, o Palmeiras tem um grupo de 32 jogadores. Embora não veja tanta necessidade de contratar, ele deixa a possibilidade em aberto.

– Hoje o Palmeiras não precisa contratar tanto, tem 32 jogadores no elenco, sendo quatro goleiros e dois meninos de base. Dependendo que aconteça… Infelizmente, com a lesão do Moisés e um ou outro jogador que pode ainda sair, o Palmeiras talvez não tenha 30 jogadores para inscrever na Libertadores – explicou.

Comentários

comentários