Arena do Palmeiras recusa shows e reserva datas de finais da Libertadores

Se avançar para a decisão, em novembro, Verdão não corre o risco de ter de atuar fora de casa, como pode ocorrer no Paulistão.

0
571
O time da SE Palmeiras, posa para foto em jogo contra a equipe do C Atlético Tucumán, durante partida válida pela fase de grupos, da Copa Libertadores, no Estádio Monumental José Fierro.

O mata-mata da Libertadores de 2017 ainda está longe de ser definido. Mas, se avançar até a decisão, o Palmeiras já sabe que poderá contar com um importante aliado na luta pelo bicampeonato continental: o seu estádio.

Procurada por uma promotora para sediar um grande evento musical no mês de novembro, a WTorre, empresa que administra a arena do Verdão, recusou qualquer negociação. O esforço é para que o local esteja disponível para o clube em caso de classificação para as finais da Libertadores, que serão disputadas nos dias 22 e 29 de novembro.

– Tínhamos a demanda de um megashow, mas que esbarraria na final da Libertadores. Não sabemos se o Palmeiras vai chegar, mas se chegar não teria hipótese de não recebermos esse jogo. Nós abrimos mão dessa receita – disse Rogério Dezembro, CEO de entretenimento da WTorre.

No ano passado, o Palmeiras atuou seis vezes fora de casa por causa da troca do gramado e shows. Em 2015 foram duas datas perdidas, quando a equipe se deslocou para o Pacaembu. Quando isso ocorre, a WTorre é obrigada a pagar uma multa de 50% do valor da renda recebida pelo clube na partida disputada fora de casa.

No Paulistão deste ano, os shows de Justin Bieber (dias 1 e 2 de abril), Elton John e James Taylor (dia 6 de abril) vão obrigar o Verdão a enfrentar o Novorizontino no Pacaembu – o duelo da próxima sexta-feira, às 21h, vale uma vaga na semifinal do torneio estadual. Na decisão, o local não ficará novamente à disposição do Palmeiras em caso de uma eventual classificação como dono da melhor campanha. Isso porque a arena vai receber a apresentação do cantor Sting no dia 6 de maio (a decisão é dia 7).

A apresentação de Sting foi acertada em setembro do ano passado. Na época, o calendário apresentado pela CBF reservava o primeiro fim de semana de maio para a abertura do Brasileirão, data que depois ficou reservada para a segunda final do Paulistão.

A banda inglesa Depeche Mode já tem show agendado para o estádio palmeirense, mas para o dia 27 de março do ano que vem. Na mesma época, o Palmeiras estará disputando o Paulistão e, se garantir classificação nesta temporada, a Libertadores. Como o calendário de 2018 ainda não foi decidido, o Verdão poderá atuar fora de casa se a data coincidir com algum jogo – a apresentação musical será numa terça-feira.

O contrato entre Palmeiras e WTorre dá à construtora a prioridade de escolha de evento. De acordo com os vínculos estabelecidos com patrocinadores, proprietários de camarotes e cadeiras, há uma quantidade mínima de shows e partidas que o local deve receber por ano.

Para 2017, a administradora tem procurado conciliar as datas para interferir o menos possível na agenda palmeirense. O clássico contra o São Paulo, por exemplo, foi antecipado do domingo para sábado (11 de março) e obrigou a arena a abrir mão de um evento. A apresentação do cantor Ed Sheeran foi adiada do dia 26 para o dia 28 de maio para não inviabilizar a partida contra o Atlético Tucumán, no dia 24.

O retorno do Verdão para casa será no próximo dia 12, quando o time de Eduardo Baptista recebe o Peñarol, do Uruguai, pela Taça Libertadores da América. Será a primeira partida do time após o novo mecanismo de troca de gramado.

Comentários

comentários