Preparado em campo e nos bastidores, Palmeiras tenta confirmar classificação na Libertadores

Alviverde precisa de um empate contra o Jorge Wilstermann, na Bolívia, para garantir vaga antecipada

0
145
Torcedores, da SE Palmeiras, durante treinamento, no Estádio Felix Capriles.


Preparação em campo e reunião nos bastidores. O Palmeiras se dividiu em duas frentes nos últimos dias para ter mais tranquilidade a partir desta quarta-feira, quando enfrenta às 21h45 o Jorge Wilstermann, na Bolívia, pela Copa Libertadores. Apesar da boa campanha na fase de grupos, o clube quer estender essa paz ao ambiente e evitar novos conflitos em estádios.

O time está a um empate de se garantir na próxima fase. A rodada de terça-feira adiou a chance de classificação antecipada, já que o Tucumán ganhou em casa do Peñarol, por 2 a 1, e se manteve com na disputa.

Uma semana depois da briga generalizada ao fim do jogo contra o Peñarol, em Montevidéu, o Palmeiras volta a atuar pela competição otimista de que em Cochabamba terá condições melhores. O presidente do clube, Maurício Galiotte, viajou na segunda-feira à sede da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), em Assunção, para falar sobre os incidentes no Uruguai e manifestar preocupação com as condições de segurança na competição.

A briga no estádio Campeón del Siglo, há uma semana, mobilizou o clube a conversar com a entidade. Galiotte, junto com o vice-presidente, Antonino Jesse Ribeiro, e o advogado do Palmeiras, André Sica, esteve reunido durante uma hora com o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

O temor do Palmeiras é ter na competição outros episódios de violência, principalmente a partir da próxima fase, com os confrontos eliminatórios. Antes de Galiotte, o clube enviou na sexta-feira outros representantes para falar sobre a briga.

Na sexta, advogados foram ao Paraguai para antecipar ao início do trabalho do Tribunal de Disciplina da Conmebol para avaliar a briga. O grupo levou fotos e vídeos com o intuito de mostrar que o Peñarol causou o tumulto. O caso está em análise. A Conmebol vai anunciar na sexta-feira as possíveis punições aos clubes.

O órgão responsável para julgar a aplicação das penas tem cinco auditores, mas o representante brasileiro não pode atuar pois o processo envolve um clube do próprio país. A punição será escolhida por integrantes da Venezuela, Chile, Argentina e Paraguai.

Mesmo antes do anúncio de punição ao clube, o conflito no Uruguai já afeta o Palmeiras pela punição preventiva do volante Felipe Melo, fora por três partidas. O substituto dela será Thiago Santos. “A briga já ficou para trás. Nem pensamos mais no Peñarol. Temos de pensar para frente. Vamos pensar no jogo, que é o mais importante para nós”, disse o jogador.

O elenco chegou à Bolívia na terça-feira na hora do almoço e fez o último treino no local da partida, o estádio Félix Capriles. O principal temor é a altitude de 2,5 mil metros acima do nível do mar, onde o Jorge Wilstermann ganhou as duas partidas disputadas nesta fase de grupo.

O Palmeiras terá a comodidade de não precisar do resultado na Bolívia. Mesmo em caso de derrota, continuará líder do grpo 5. “Viemos para jogar futebol e procurar ganhar. Vai ser um jogo de bastante pegada. Esperamos sair com a vitória, sempre respeitando o adversário. Trabalhamos bastante essa semana e estamos preparados”, afirmou Thiago Santos.

FICHA TÉCNICA

JORGE WILSTERMANN X PALMEIRAS

JORGE WILSTERMANN: Olivares; Aponte, Zenteno, Alex Silva e Morales; Saucedo, Cardozo e Chávez; Bergese, Ríos e Cabezas. Técnico: Roberto Mosquera.
PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Michel Bastos; Thiago Santos; Róger Guedes, Tchê Tchê, Guerra e Dudu; Willian. Técnico: Eduardo Baptista.
Juiz: Wilson Lamouroux (Colômbia)
Local: Félix Capriles, em Cochabamba
Horário: 21h45
Na TV: Globo e SporTV

Comentários

comentários