Cuca faz sete testes no Palmeiras; veja quem pode jogar contra o Atlético-MG

0


Com artilheiro e base defensiva mantidas, treinador estuda variações no Verdão para o retorno do Brasileirão, no sábado, na arena

Pensando no jogo contra o Atlético-MG, no próximo sábado, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, o torcedor do Palmeiras pode imaginar uma formação com pelo menos quatro titulares absolutos.

Na manhã desta terça-feira, na Academia de Futebol, Cuca testou diversas variações na equipe, mas manteve sua base defensiva durante toda a atividade: Fernando Prass, Luan e Edu Dracena. Além do trio, Willian foi outro que, depois de chamado a campo, não saiu mais do time.

No restante da equipe, muitas mudanças, testes e variações para uma provável formação titular para o retorno do Brasileirão no fim de semana, em uma atividade contra uma equipe formada em sua maioria por atletas da base.

Assim como já havia ocorrido na semana passada, Cuca iniciou o seu trabalho apenas com a defesa: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Luan, Michel Bastos e Thiago Santos, contra um ataque formado por Fernando, Hyoran, Léo Passos e Yan.

Com a formação do Atlético-MG em mente, o treinador montou uma linha de quatro no ataque para pressionar a saída de bola palmeirense. O comandante orientou posicionamento e cobrou movimentação e posse de bola no campo de defesa.

11 contra 11

Aos poucos, os times foram completados até que o coletivo fosse montado por duas formações com 11 jogadores de cada lado. Quando a formação ficou completa, a equipe em campo era: Fernando Prass; Mayke, Luan, Edu Dracena e Egídio; Jean, Tchê Tchê, Moisés e Guerra; Willian e Deyverson.

Os reservas atuaram com Vinicius Silvestre; Mailton, Pedrão, Antônio Carlos e Michel Bastos; Léo Paulino, Zé Roberto (Raphael Veiga) e Hyoran; Fernando, Léo Passos e Yan.

Variação defensiva

Mesmo com Edu Dracena e Luan em campo durante toda a atividade, a comissão técnica trabalhou uma variação entre os zagueiros. Na primeira parte, Edu atuou pela direita e Luan pela esquerda, formação que foi invertida depois.

Contra o São Paulo, na rodada passada do Brasileirão, Luan já havia atuado pela direita, e Edu, pela esquerda no segundo tempo do clássico, quando o desempenho defensivo do Verdão encaixou melhor.

Os testes

Nas sete vagas restantes na equipe titular do Palmeiras, Cuca testou variações importantes. Nas laterais, Michel Bastos começou na esquerda, mas cedeu a posição para Egídio. O camisa 6, inclusive, foi mais utilizado na formação principal durante a atividade. Do outro lado, Jean deu lugar a Mayke.

No meio de campo, Thiago Santos foi substituído por Jean após a mudança na lateral direita. Depois, o camisa 2 deixou o time e abriu espaço para Bruno Henrique. Escalado durante a atividade, Tchê Tchê só deixou o gramado nos minutos finais para a entrada de Zé Roberto.

Na frente, apenas Willian, artilheiro da equipe na temporada com 15 gols, foi mantido. Assim como já vinha ocorrendo nas últimas partidas, Guerra atuou mais pelo lado direito do sistema ofensivo, com Moisés completando o setor mais centralizado. O venezuelano teve boa participação e foi variação importante na chegada ao ataque.

Recuperado de lesão muscular, Dudu ocupou a vaga de Deyverson. Mais recuado e centralizado, jogou como referência na armação e puxou contra-ataques, com Róger Guedes pelo lado direito (no lugar de Guerra) e Keno pelo lado esquerdo (no lugar de Moisés). Tais opções dão mais velocidade e drible para o ataque palmeirense.

Destaque da base

Em uma formação que pode se aproximar da ideia tática do Atlético-MG, Cuca montou uma linha de quatro no ataque da equipe reserva. O destaque na formação de apoio foi o meia Fernando, da equipe sub-20.

Aberto pelo lado direito, o atleta de 18 anos travou duelos com Michel Bastos e Egídio pela lateral do campo. Com drible e velocidade, ele conseguiu bons avanços no ataque palmeirense.

Comentários

comentários