Moisés, do Palmeiras, critica arbitragem e diz que, em Itaquera, “na dúvida, segue”

0


Presidente do Verdão fala em dois erros de Anderson Daronco e promete reclamar na CBF

A arbitragem de Anderson Daronco na derrota por 3 a 2 contra o Corinthians, em Itaquera, na tarde deste domingo, gerou reclamações de todas as partes pelos lados do Palmeiras. Entre os lances mais criticados, o gol de Romero, impedido, que abriu o placar, e a não advertência a Gabriel por ter entrado em campo sem a autorização da arbitragem – seria o segundo amarelo do volante, ou seja, sua expulsão.

Autor do segundo gol palmeirense no Dérbi, Moisés reclamou do desempenho de Daronco e disse que já esperava que algum lance pudesse beneficiar o time alvinegro na casa do rival em caso de dúvida.

– Em momento algum, a gente tinha dúvida de que algum lance duvidoso aqui para o Corinthians ia deixar passar. Isso, a gente já sabia. A gente veio preparado para essa dificuldade também. No nosso campo, na dúvida, para (o lance). Aqui, na dúvida, segue. Paciência. Tentamos mesmo assim buscar o resultado e não conseguimos – afirmou o camisa 10.

Quem também se manifestou sobre o assunto foi o presidente Maurício Galiotte. Na saída dos vestiários, o dirigente cobrou profissionalismo e prometeu enviar para a CBF uma reclamação formal.

– Não foi por isso que o Palmeiras perdeu. O Corinthians jogou melhor, fez um bom jogo no primeiro tempo. O que a gente questiona e quer deixar claro é que o Palmeiras está fazendo um trabalho muito sério, o Palmeiras está se estruturando, está com um trabalho que se pode comparar a um time europeu. Um erro de arbitragem e de cumprimento de regra realmente compromete o clássico – afirmou.

– Faremos a reclamação, temos um relatório e vamos preparar todas as informações do jogo, um vídeo. Vamos nos posicionar porque era um clássico importante, decisivo, não pode ter erro. Temos de fazer um movimento para ter reciclagem, precisamos de árbitros profissionais. Temos uma estrutura profissionalizada e o árbitro precisa também ser profissional. Lance infeliz do bandeira, o pênalti é discutível, mas dois lances de regra não pode acontecer. Regra é o básico do futebol – completou o dirigente.

O técnico Alberto Valentim também reclamou do apito na sua coletiva após a partida.

Comentários

comentários