O Palmeiras vive momento de forte turbulência política. Em agosto, o clube terá votação dos sócios que aprovarão ou não algumas mudanças no estatuto. Entre elas, e é a principal, a mudança de dois para três anos do mandato de presidente.

Leia mais:
Ganhe dinheiro assistindo jogos do Palmeiras
Baixe nosso aplicativo para celular Android

Leila Pereira, atual presidente da patrocinadora e conselheira, organizou diversos eventos dentro do clube pelo ‘sim’. A aprovação torna o caminho mais fácil pela presidência. Se ela quiser assumir o clube, pode fazê-lo no começo do seu segundo mandato de conselheira (se conseguir mais quatro anos nas urnas).

O ex-presidente Mustafá Contursi, desafeto de Leila, passou um tempo internado em hospital de São Paulo. Com problemas pulmonares e renais, Contursi se recuperou e já liderou o primeiro encontro pelo ‘não’ na casa de um conselheiro. Apesar da tentativa de unir a oposição, o ‘não’ não tem condição de vencer. A aprovação é o caminho mais claro no cenário atual.

O encontro que Contursi liderou tem outro propósito: lançar candidato para presidente afim de concorrer com Maurício Galiotte no fim do ano. O nome de Genaro Marino é bem visto e pode ser lançado. Os próximos encontros devem definir a situação e a aprovação do nome de Marino.

Enquanto isso, quem aprova a mudança do estatuto tem inclinação para votar em Galiotte. O atual presidente, no entanto, não confirmou se será candidato à reeleição.

Comentários

comentários