O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou, nesta quarta-feira, o pedido do Palmeiras para impugnar a decisão do Paulista 2018.

Na ocasião, o volante Ralf derrubou Dudu dentro da área. Marcelo Aparecido deu pênalti, mas voltou atrás minutos depois. O placar de 1 a 0 para o Corinthians levou a decisão para os pênaltis. Na sequência, o rival levantou a taça.

O Palmeiras reuniu diversos documentos e imagens que comprovaram interferência externa, mas nem o TJD-SP e nem o STJD entenderam de fato o ocorrido.

Após decisão proclamada pelo órgão da CBF, o Verdão emitiu nota em seu site oficial e confirmou que não entrará em mais esferas. Deu o caso por encerrado.

Veja na íntegra:

A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que deu sua contribuição ao demonstrar, de maneira inequívoca, a interferência externa na atuação da arbitragem na final do Campeonato Paulista deste ano. Após um processo de investigação extremamente minucioso, o Palmeiras comprovou que houve comunicação não permitida pelo regulamento com os árbitros.

Infelizmente, os tribunais esportivos brasileiros não entendem que a série de fatos apresentados constitui prova suficiente para anulação de uma partida de futebol, o que lamentamos.

Porém, tudo o que foi demonstrado pelo Palmeiras foi referendado pela opinião pública e pela mídia especializada e, graças a essa movimentação do clube, algumas atitudes foram tomadas no sentido da evolução no futebol brasileiro.

A CBF, que não introduziu o uso do VAR no Campeonato Brasileiro porque não teve a votação suficiente dos clubes, determinou sua utilização a partir das quartas de final da Copa do Brasil. O Palmeiras foi o único clube do Estado de São Paulo que votou a favor do uso da tecnologia e seguiu fazendo gestões junto à CBF para que a ideia não fosse arquivada.

Até a FPF, após as evidências levantadas pelo Palmeiras, decidiu adiantar o uso do VAR, e o Campeonato Paulista de 2019 também terá a utilização desta tecnologia a partir das quartas de final, o que, esperamos, ajude a diminuir as questões duvidosas e traga legitimidade à tecnologia no auxílio à arbitragem.

Ainda há espaço para mais avanços. Por isso, o Palmeiras segue sugerindo a disponibilização das gravações das comunicações entre os árbitros e a reciclagem e renovação do comando do Departamento de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol.

A Sociedade Esportiva Palmeiras espera que esse caminho de evolução não tenha mais volta no futebol brasileiro. O clube seguirá, por sua vez, sempre batalhando e à frente de posturas que contribuam para o desenvolvimento do esporte nacional.

Para este caso específico, consideramos nossa missão cumprida e, por isso, não daremos sequência a novos recursos.

Comentários

comentários