A Era Parmalat

Durante toda a década de 80, o Palmeiras esteve em uma longa fila atrás de títulos, que sempre parava perto das taças, ou como vice-campeão ou próximo disso. Com isso, a torcida e os corneteiros do Parque foram ficando mais e mais nervosos com a falta de títulos, já que qualquer craque formado no Brasil era logo vendido para o exterior, ou seja, nunca tínhamos craques no time.

Porém, a situação mudou por completo quando, em 1992 o Palmeiras recebeu uma proposta da multinacional italiana Parmalat que via no Palmeiras o vínculo para entrar no mercado brasileiro. A empresa precisava aumentar mercado e a gente de dinheiro, juntamos a fome com a vontade de comer.

Trazendo consigo toda uma modernidade que faltava ao futebol brasileiro, e que posteriormente foi copiada por vários times, a Parmalat trouxe ares novos para os Jardins Suspensos, mudando a camisa de jogo do tradicional verde esmeralda para um verde mais claro, com listras brancas e tons e azul.

Além disso, a diretoria se modernizava, não existiam mais os mandos e desmandos, pois um diretor remunerado da multinacional fazia parte agora do comando da Sociedade, impedindo o livre-arbítrio.

Com isso, surgiram dois símbolos desta nova era: a nova camisa e Luis Carlos Brunoro.