Todos juntos pelo Palmeiras

0
88


Galera alviverde! Andei recebendo diversas mensagens por meio das redes sociais para me manifestar sobre os últimos ocorridos. Na realidade o Palmeiras encostou no Corinthians e existe chance de ser bicampeão brasileiro. Existe a chance sim, apesar de ser difícil. Mas vamos lá.

O Corinthians fez um primeiro turno totalmente atípico. Vocês podem até discordar da minha posição, mas o rival contou com a sorte e com o entrosamento de grupo. Contou também com um técnico novato que precisava marcar presença e mostrar trabalho. Caso contrário, rua. Ou categoria de base e ostracismo. Conseguiu dar um padrão e o time se aproveitou da baixa qualidade de um campeonato onde os principais clubes estavam disputando a Libertadores.

Até o final do primeiro turno, Palmeiras, Grêmio e Santos não estavam disputando. O foco era a Libertadores e eu considero isso um erro brutal de planejamento do Palmeiras. Tanto que Maurício Galiotte e Alexandre Mattos já combinaram que o clube não vai priorizar nada no próximo ano. Derrotas para Chapecoense e Atlético-PR, se fossem revertidas, já nos dariam a liderança. Mas não adianta chorar o leite derramado.

O Corinthians do segundo turno é o Corinthians, mesmo. Um time limitado, com falhas graves na zaga e um time que não sabe reverter resultado. Como não é possível contar com a sorte durante o tempo todo, o trevinho caiu e a exposição aconteceu. Logo, a campanha do returno é simplesmente um fracasso.

Se o Palmeiras vencer o Cruzeiro e eles tropeçarem contra a Ponte Preta, a imprensa vai fazer de tudo para jogar a obrigação da vitória no Dérbi nas nossas costas. Essa é uma tática velha e que os jogadores palmeirenses já estão acostumados e cientes. Vamos passar uma semana com manchetes do tipo: “O Palmeiras tem obrigação de ser líder por causa dos investimentos da Crefisa”. Ou “Com time de R$ 100 milhões, Palmeiras pode se tornar líder”.

A grande questão aqui é que o ano do Palmeiras não foi bom e isso é um fato consumado. Não avançamos na Libertadores que era nosso objetivo maior. Isso precisa se tornar claro por mais que nosso coração ainda esteja doendo. O ano foi focado na conquista da América e não aconteceu. Com a queda de Cuca, Valentim conseguiu fazer tudo que o técnico não conseguiu fazer. Conseguiu fazer tudo que Eduardo Baptista não conseguiu fazer. E temos agora oito rodadas para tentar conquistar o bicampeonato, mas totalmente sem pretensão. A busca palmeirense é sim pela classificação na Copa Libertadores do próximo ano. Mas o título pode ser uma consequência de um bom segundo turno. Se acontecer.

Se o Palmeiras for Campeão, salvará o ano e com ressalvas. Conquistará o bicampeonato brasileiro que também não vem desde 1993/1994 e se tornará ainda mais o Maior Campeão Nacional totalizando dez títulos. O Enea se tornará Deca. A hegemonia será nossa. Ainda mais nossa. O Verde despontará. Porém o mais provável é que o título seja do Corinthians por uma série de fatores e por um primeiro turno irretocável e carregado nas costas da sorte.

Esquema Crefisa?
Quem é da década de 90 vai lembrar. Quando a Parmalat chegou, o Palmeiras se organizou, trouxe diversos reforços e conquistou trocentos títulos seguidos um do outro. E boa parte deles em cima do rival de Itaquera. Acuados, os torcedores espalharam o tal do ‘Esquema Parmalat’. Enfim, a tática está sendo usada hoje também com a Crefisa. Até o tal do Chico Lang entrou na onda e fez graves acusações. Até passível de processo na Justiça. Mas afinal quem é Chico Lang, né?

O mau perdedor é assim mesmo. Aquele menininho que está jogando video-game com o outro e se irrita com a derrota e diz que o controle dele que está com problemas. Ou que o jogo foi programado para a vitória do amigo. Além de ser uma enorme infantilidade, demonstra um total sentimento de inveja, já que ninguém quer por dinheiro em um clube fracassado e frequentemente com nome envolvido em falcatruas. O mercado é construído com base em reputação, coisa que o Corinthians não tem.

Apoio incondicional
Mesmo sendo difícil e complicado tirar seis pontos em oito rodadas, vamos apoiar muito. Nem preciso pedir esse apoio para vocês. Nossa média de público é no mínimo 20 mil pessoas. Contra o Cruzeiro já se foram 27 mil ingressos vendidos. E por mais que o jogo esteja ruim, vamos evitar vaiar até o apito final. Vamos apoiar, gritar, incentivar. Não seria nada mal terminar 2017 como Campeão Brasileiro de novo e ser o coadjuvante do maior fracasso do rival dos últimos anos. Apesar de ser complicado, eu acredito. E você?

Comentários

comentários