Palmeiras deve ir ao mercado buscar substituto para Tchê Tchê

O Palmeiras confirmou a venda do meia Tchê Tchê para o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, nesta terça-feira. O valor da transação foi de R$ 20 milhões.

O negócio começou na semana passada com o contato dos ucranianos, que ofereceram valor abaixo do esperado (R$ 13 milhões). A diretoria alviverde negou iniciar a conversa com base na cifra, e os dirigentes do Dínamo melhoraram a proposta. Como Tchê Tchê não custou nada ao cofre palmeirense, a venda foi concluída com 100% de receita total para o clube.

Alexandre Mattos, executivo de futebol do clube, foi bastante elogiado por comandar as conversas. Conseguiu explorar valores maiores por um atleta que estava em decadência. Tchê Tchê era reserva e vinha sem jogar, atuando somente quando Roger Machado optava por equipe alternativa.

Quando chegou ao Palmeiras em 2016, o meia foi muito elogiado por Cuca. Fez dupla importantíssima com Moisés e ajudou demais na conquista do Campeonato Brasileiro. Teve participação muito importante na ocasião. Depois disso caiu de rendimento e não teve mais atuações incríveis, sendo muito criticado por parte da torcida palmeirense.

Substituto

Mattos viaja logo após o último jogo do Palmeiras antes da parada para a Copa do Mundo. O executivo quer aproveitar o momento de ‘calmaria’ no futebol para sondar alguns nomes no futebol europeu. Com o dinheiro da venda do meia mais aporte da Crefisa, Mattos já sabe quanto pode gastar nas transações.

Machado já admitiu que está satisfeito com seu elenco, mas entende que a chegada de um zagueiro e mais um centroavante ajudaria a alavancar a busca por títulos na temporada. Miguel Borja é outro que está na lente dos europeus e pode seguir outro rumo após a Copa.

Nesta quarta, o Verdão recebe o América-MG pela Copa do Brasil. Um empate simples já garante a classificação para as quartas.