Cachorro picado por cobra tem medo de linguiça. Essa metáfora nunca foi tão bem aplicável ao Palmeiras como agora. Depois de ser prejudicado em duas competições por falhas da arbitragem, o Alviverde está preocupado com os rumos dos juízes na Copa Libertadores.

Maurício Galiotte, presidente do clube paulista, e presidentes de River Plate, Grêmio e Boca, estarão reunidos nesta noite na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai. O objetivo do encontro é debater sobre os árbitros das semifinais do torneio continental.

Leia mais:
Que tal ganhar dinheiro e trabalhar de casa assistindo jogos do Palmeiras? Veja aqui como é possível
Baixe nosso aplicativo para celular Android

Em entrevista para a TV Gazeta, Galiotte fez um pedido especial à entidade antes mesmo de viajar. “Sabemos da pressão dos argentinos em todos os jogos da Libertadores e como eles exercem essa pressão”, disse Galiotte. “O que o Palmeiras pede é isenção. E que se coloque o melhor árbitro, o mais experiente, de ponta. Já que são clássicos, que coloquem as pessoas mais bem avaliadas para minimizar os erros”, comentou.

Em 2001, o Palmeiras foi prejudicado justamente em La Bombonera por Ubaldo Aquino. O clube não quer que o erro se repita.

“Com erro ou falha em lance capital, você coloca todo um projeto em risco, perde um campeonato. Com o Palmeiras, já aconteceram duas situações nesse ano (decisão do Paulista e semifinal da Copa do Brasil). Então, (a arbitragem) é uma preocupação, sim, mas confiamos nas pessoas que estão organizando os campeonatos,” adicionou.

O Verdão encara o Boca na Argentina dia 24. A volta ocorrerá dia 31 no Palestra Itália, em São Paulo.