O Palmeiras, finalmente, terá o seu Museu. As taças de conquistas históricas que, atualmente, estão guardadas em caixas em um imóvel alugado no bairro de Pinheiros, fazem falta.

Maurício Galiotte, atual presidente e candidato à reeleição, já revelou que tem conversas adiantas com a WTorre, construtora da arena, para que esse assunto seja encaminhado.

“Não foi possível fazer (no primeiro mandato) porque, na nossa concepção, tem que ser em conjunto com a arena. Temos ainda alguns assuntos sendo tratados na arbitragem com a WTorre (discussão na Justiça de alguns pontos do contrato), mas já estamos bastante evoluídos em diálogo. É uma meta que temos agora para o nosso segundo mandato, se eu for reeleito. Faz muita falta, temos ali nossa história. História que muito nos orgulha. Não podemos deixar de ter na nossa arena a nossa sala de troféus. Com certeza, teremos,” disse.

Genaro Marino, candidato da oposição, também revelou planos para que esse projeto saia do papel.

“Queremos nossa sala de troféus de volta. Queremos ter um museu do Palmeiras para nossa história de 104 anos. O que foi feito nesses dois anos? O Conselho Deliberativo ainda votou que não é prioridade. Como não é prioridade mostrar a sua história?,” adicionou.

A ideia é utilizar espaços dentro da arena para a instalação. O obstáculo é permitir que associados possam visitar o local de forma gratuita, sem custos.

Comentários

comentários