O jogador Nico Freire, da SE Palmeiras, durante desembarque, no Aeroporto Internacional de Salvador.

O Palmeiras tem poder financeiro e contratou muitos atletas de 2015 para cá. Vários deles não foram aproveitados no elenco principal. Ou, se jogaram, logo foram descartados. A enorme concorrência transformou o “prazo de validade” dos jogadores que reforçaram o clube.

O caso do zagueiro Nico Freire é emblemático. Contratado no meio de 2018 junto ao futebol holandês, Nico nem estreou pelo Verdão. A chegada de Felipão vetou qualquer possibilidade. Edu Dracena, Gustavo Gómez, Antônio Carlos e Luan afundaram ainda mais as expectativas do zagueiro argentino.

Negociado com a LDU, Nico tem feito muito sucesso. Na estreia da Libertadores, o jogador marcou o primeiro gol na vitória contra o Peñarol. Na próxima semana viaja para o Brasil onde enfrentará o Flamengo.

Sem oportunidades, o próprio jogador pediu para ser negociado.