O Palmeiras está nas quartas de final da Copa Libertadores da América. O Verdão bateu os argentinos do Godoy Cruz por 4 a 0 e confirmou passagem para a próxima fase. Agora resta saber quem será o adversário.

Nesta quinta, no Paraguai, o Grêmio enfrenta o Libertad. E tem vantagem grande: venceu a primeira partida por 2 a 0. Se eliminar os paraguaios, os gaúchos serão os adversários do Palmeiras em duelo importante pelo torneio continental.

Independente de quem for o adversário, o clube tem um problema considerável para resolver.

Allianz Parque sem condições de uso

Moisés, ex-meia do Palmeiras, reclamou bastante das condições do gramado em partida pelo Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira, o colombiano Miguel Borja torceu o pé após passar por irregularidade no local. Na entrevista pós-jogo, o atleta disse que a condição da grama “é muito ruim”.

LEIA MAIS:
Terceira camisa do Palmeiras terá tom de verde diferente
Palmeiras: vazou a coleção de uniformes do segundo semestre. Confira!
Palmeiras inicia preparação para enfrentar o Corinthians. Veja provável escalação

Diante do exposto, um agravante: show de Sandy e Júnior vai acontecer no Allianz Parque entre os dias 24 e 25 de agosto. O jogo da volta das quartas da Libertadores está previamente marcado para acontecer entre os dias 26 ou 27 (terça ou quarta, respectivamente). Se sem evento o gramado está ruim, com evento e milhares de pessoas pisando a situação fica ainda pior.

A diretoria palmeirense deve confirmar o jogo para o Estádio do Pacaembu. E, por lá, o Verdão tem números excelentes quando enfrenta o time gremista.

Eventos paralelos prejudicam o uso do Allianz Parque

Recentemente, a arena sediou evento onde torcedores puderam jogar bola simulando atividade de atleta profissional. Com diversos times e diversos jogos, a qualidade do gramado caiu drasticamente. Na partida contra o Vasco era possível ver diversos buracos e gramas soltas.

  Palmeiras: Mano fala sobre a vitória contra a Chapecoense

Para “esconder” as cores diferentes e as irregularidades, funcionários colocam areia e pintam de verde por cima. Mas, com o andamento da partida, o “cenário” é desmontado. Os uniformes dos jogadores ficam sujos da tinta passada e a areia sai, criando vários buracos. E foi assim que Miguel Borja torceu o pé e quase se complicou fisicamente com maior gravidade.

Até o momento, nenhum representante do Allianz Parque se pronunciou.

Jogar no Pacaembu é alternativa para evitar lesões e problemas maiores.