Palmeiras, Procon e Polícia definem uso da rede de proteção no Allianz Parque

O Palmeiras, o Procon e a Polícia Militar se reuniram na manhã desta sexta-feira para discutir e tomar uma atitude sobre a rede de proteção da torcida visitante no Allianz Parque. A conversa aconteceu no próprio estádio.

A história do problema

Os visitantes ficam na parte superior de um dos setores da arena. Na parte debaixo, ficam torcedores palmeirenses, especialmente do setor família, quando esse é disponibilizado. Quando não tem o setor disponível, o local fica ocupado por torcedores comuns, na mesma proporção, na curva entre o setor Gol Sul e o setor Centro Leste.

LEIA MAIS:
Palmeiras fecha lista da Libertadores com mais dois nomes
Palmeiras resolve manter Borja e vai pagar quase R$ 12 milhões
Participe do nosso grupo no Telegram e concorra à uma camisa oficial do Palmeiras

Vários torcedores rivais reclamaram bastante da visão prejudicada. Com o sol no fim da tarde, a rede que impede o arremesso de objetos ofusca a visão e não permite o acompanhamento completo da partida. Torcedores do Bahia ameaçaram até entrar na justiça, enquanto vascaínos lotaram a caixa de entrada da ouvidoria palmeirense.

Reunião definiu o uso da rede de proteção

Após diversas reuniões, Palmeiras, Procon e Polícia Militar entraram em consenso e entenderam que a proteção se faz necessária e, portanto, seguirá instalada. A remoção só será feita em partidas de torcida única, sem a presença de visitantes.

No dia 10 de setembro, Palmeiras e Fluminense se enfrentam no Allianz Parque pelo Campeonato Brasileiro. Será partida com visitantes e com a proteção mantida. Antes, o Verdão joga no Pacaembu contra o Grêmio, onde definirá a vaga nas semifinais da Copa Libertadores da América.

  Com time modificado, Palmeiras está escalado para pegar a Chape