O jogador Borja, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do Red Bull Brasil, durante partida valida pela primeira rodada, do Campeonato Paulista, Série A1, no Estádio Moisés Lucarelli.

O centroavante Miguel Borja esteve com um pé e meio fora do Palmeiras. No entanto, o colombiano voltou a jogar bem e chamou a atenção da comissão técnica, que resolveu conceder novas chances em comum acordo com Alexandre Mattos, executivo de futebol.

Para permanecer, Borja “arrancou” dos cofres palestrinos quase R$ 12 milhões. O acordo estava em contrato assim que foi assinado, em 2017. Se não fosse vendido até o último dia 17, o Verdão arcaria com o valor. Caso fosse negociado, 30% seria destinado ao Atlético Nacional, ex-clube do palmeirense.

LEIA MAIS:
Tem jogador do Palmeiras na lista de Tite na seleção brasileira. Confira!
Palmeiras treina com boa novidade para enfrentar o Grêmio
Palmeiras: Felipão conversa com Felipe Melo após expulsão contra o Bahia

Volta por cima de Miguel Borja

O próprio empresário do jogador admitiu que a situação era bem difícil e que ele estava praticamente fora do Palmeiras. Mas, pela Libertadores, dois gols contra o Godoy Cruz, da Argentina, foram responsáveis pela permanência no Brasil. A luz continuou acesa.

Borja é 100% do Palmeiras

Com o depósito de quase R$ 12 milhões, Borja torna-se 100% ativo do Palmeiras, sem divisão. O contrato finda em dezembro de 2021. A intenção do colombiano nunca foi sair e a informação foi passada para diretoria do clube, que resolveu apostar.

Concorrência maior

Mesmo permanecendo, Borja sabe que a concorrência por uma vaga no setor ofensivo está maior. As chegadas de Luiz Adriano e Henrique “Ceifador” tornaram as coisas mais difíceis. E, para dificultar um pouco mais, o novo reforço que veio do Spartak de Moscou estreou bem e mostrou excelente condição física, sendo, inclusive, o preferido para começar o jogo contra o Grêmio neste sábado em Porto Alegre.

Borja terá que se esforçar ainda mais para cavar uma vaga no Palmeiras.