Não é só contratar: ‘era Mattos’ tem mais saídas que chegadas no Palmeiras

0
444

O Palmeiras contratou 25 reforços para 2015, fechou com mais 14 jogadores ao longo de 2016 e até o momento já tem oito novidades para 2017. Isso significa que o clube anunciou 47 reforços desde que fechou com o diretor Alexandre Mattos. Mas engana-se quem pensa que a atual gestão do futebol alviverde vive apenas de chegadas. No mesmo período, foram 64 saídas de atletas do elenco profissional – contam apenas os atletas que estavam integrados ao grupo.

O número é bastante elevado por causa da imensa reformulação realizada após a péssima temporada de 2014, quando o time brigou contra o rebaixamento até a última rodada do Brasileirão. Entre o fim de 2014 e o meio de 2015, 36 atletas que participaram daquela campanha se despediram, alguns em definitivo (como Valdivia) e outros emprestados (caso do zagueiro Thiago Martins, que voltou e hoje faz parte do elenco). Alan Patrick, Ryder e Leandro Pereira, que foram contratados para aquela temporada, também saíram após o primeiro semestre.

Outros nove reforços não ficaram para 2016: o goleiro Aranha, os zagueiros Jackson e Victor Ramos, o lateral-esquerdo João Paulo, os volantes Amaral e Andrei Girotto e o atacante Kelvin nem iniciaram a temporada. Meses depois, o zagueiro Leandro Almeida e o meia Fellype Gabriel, que tiveram desempenho decepcionante, também se despediram.

O lateral-esquerdo Victor Luis, que havia retornado de empréstimo, disputou um jogo do Paulistão e foi liberado novamente no meio da temporada passada. O zagueiro Nathan e o lateral-direito Taylor, jovens promovidos da base que estavam sem espaço, foram emprestados, assim como os atacantes Mouche e Luan. Cristaldo foi vendido, enquanto Lucas e Robinho acabaram envolvidos em troca com o Cruzeiro, por empréstimo.

Para 2017, o número de despedidas também é alto. Foram dez até o momento: o goleiro Vagner, o lateral-direito João Pedro, o volante Matheus Sales e o meia Allione foram emprestados. O volante Gabriel, o lateral-esquerdo Fabrício, o zagueiro Roger Carvalho, o meia Cleiton Xavier e os atacantes Leandro Pereira e Gabriel Jesus não retornam mais.

Isso sem contar os atletas que nem chegaram a integrar o elenco profissional e são constantemente emprestados a outros clubes. O grupo de atletas cedidos a outros clubes tem custado cada vez menos aos cofres palmeirenses.

– Quando cheguei em 2015, o Palmeiras tinha 55 jogadores que estavam emprestados e não iriam voltar, porque se não estavam naquele momento de 2014 não poderiam estar em 2015. Eram mais ou menos R$ 3,8 milhões (gasto mensal com salários). Em 2015, conseguimos fazer virar R$ 1,9 milhão, os outros clubes pagavam o resto. No ano passado diminuiu para R$ 900 mil, R$ 850 mil… A gente vem diminuindo. Em que pese a quantidade de jogadores contratados, o Palmeiras vem diminuindo o inchaço que tinha aqui dentro – disse Alexandre Mattos, em entrevista à ESPN Brasil.

Comentários

comentários