Pontual na janela, Palmeiras investe para resolver as carências de 2017

Clube acertou com cinco reforços e agora só deve fazer um novo investimento caso apareçam novas oportunidades de mercado - Goulart ou Scarpa, por exemplo.

0


O Palmeiras decidiu ser mais pontual na janela de transferências de 2018 e considera ter o esqueleto do elenco para a próxima temporada montado. Com cinco reforços, a diretoria investiu em resolver carências da equipe neste ano, como as laterais, antes uma grande dor de cabeça, e a armação. Novas contratações só serão feitas, caso apareça uma “oportunidade de mercado”, como Ricardo Goulart ou Gustavo Scarpa, que hoje são considerados fora de alcance. No clube, avalia-se que o planejamento do próximo ano está pronto.

Weverton foi escolhido para disputar vaga com Fernando Prass e Jailson, dois goleiros identificados com o clube, mas com histórico de lesões e idade mais avançada. Na lateral direita, Marcos Rocha, anunciado nesta quarta, chega com um currículo vitorioso e seguidos prêmios como o melhor do Brasil na posição. Diogo Barbosa, um dos destaques do Cruzeiro, foi trazido para resolver o problema da outra lateral, enquanto o zagueiro Emerson é considerado promissor, e Lucas Lima, a principal contratação até o momento.

Embora tivesse jogadores como Guerra e Raphael Veiga no elenco, o Verdão teve problemas na criação. Moisés acabou o ano como o responsável pelo setor, mas diz que sua função é, na verdade, como primeiro ou segundo meio-campista. O camisa 10 falou que a chegada do ex-santista é benéfica por fazê-lo voltar a jogar onde está mais acostumado.

Além dos cinco contratados, Thiago Martins, Victor Luis, Allione e Artur voltam de empréstimo. Destes, o zagueiro já foi procurado por Vasco, Bahia (equipe em que jogou o segundo semestre), Atlético-PR, Sport e ainda tem chance de ser novamente emprestado, embora esteja bem avaliado na Academia de Futebol. O lateral-direito João Pedro, que chegou a ser cotado para ir ao Atlético-MG, também deve ser emprestado – Atlético-PR, Bahia e a Chapecoense (time onde jogou em 2017) são as opções.

O grupo ainda deve ser enxugado, mas o fato de o planejamento da temporada já estar pronto, com o Roger trabalhando há quase um mês e escolhendo seus atletas, é motivo de comemoração na Academia de Futebol. Diferentemente dos outros anos, quando o grupo se reapresentar, dia 3 de janeiro, não haverá lacunas a se resolver, como era o caso da busca por um centroavante em 2017.

Ricardo Goulart e Gustavo Scarpa são jogadores bem avaliados no Palmeiras e que interessam caso seja uma forma de negócio vantajosa. Não há a avaliação de que o elenco precise ser reforçado no setor dos dois, mas por serem considerados atletas acima da média, o clube está atento à situação deles.

No caso do primeiro, o Guangzhou Evergrande, da China, não se mostra disposto a liberá-lo até agora, apenas mediante o pagamento da multa. Deste jeito, o Palmeiras não irá entrar na negociação.

Já Scarpa esteve perto de um acordo, mas o Fluminense não se acertou com os jogadores do Palmeiras que iriam entrar na troca – Róger Guedes era um, mas foi para o Atlético-MG. Neste momento, as partes não estão conversando, porém o Flu ainda ouve interessados por uma troca pelo meia de 23 anos, que pode ser uma opção para o clube carioca reforçar o elenco sem ter de gastar.

Comentários

comentários