Treinador palmeirense criticou ferrenhamente diretoria do clube por não assumir culpa pela falta de reforços.

Por Thiago Gomes

Na coletiva de imprensa após a goleada diante do Paraná, o técnico Luiz Felipe Scolari não deixou passar a chance de criticar a diretoria do clube. A insatisfação de Felipão é justamente pela falta de reforços. Depois da “limpa” promovida pela diretoria, o treinador encaminhou uma lista com alguns nomes que seriam interessantes. Porém a resposta que recebeu é que o clube não tem condições financeiras de trazer nenhum atleta da lista. Ou seja, alguns reforços modestos devem chegar, mas sem maiores investimentos.

“Se não tem dinheiro, precisa pescar alguma coisa. Agora, depois não venham passar para a torcida que eu passei os nomes que estão chegando. Precisam assumir essa m…”, esbravejou.

“O que quero passar ao meu torcedor é que se não dá de um jeito, vamos pelo outro. Ou então vamos aceitar a crítica que não contratamos o Pelé, o Robinho, o Pato ou o Ganso. É assumir a realidade, se não tem dinheiro para um apartamento, vamos ver uma casinha”, completou.

Felipão ainda ironizou bastante alguns dirigentes do clube, dizendo que é muito mais identificado com as cores do Palmeiras do que “muitos”. “Eu sou mais identificado com o Palmeiras do que muitas pessoas que estão aí,” disse.

O gerente de futebol César Sampaio confirmou que o ambiente interno é tranquilo. Porém a reclamação dos torcedores via redes sociais e internet tem causado um certo desconforto. “Internamente, temos um ambiente tranquilo. Externamente, há alguma coisa sim, principalmente através das redes sociais,” disse.

Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras, rebateu as críticas de Felipão e concordou com o ponto de vista do treinador. “O Felipe é um homem que tem personalidade e coloca as coisas da forma dele, mas não sou homem de me assustar com coisas muito mais importantes. Ele falou a verdade. Estamos fazendo nosso dever de casa, mas, neste momento da Copa do Brasil, tivemos jogadores dispensados. Para repor, não tem agora, porque a maioria do mercado brasileiro está na Copa do Brasil ou na Libertadores”,  disse o presidente.

Sobre uma possível repreensão ao treinador, Tirone foi enfático. “Não tive ainda a oportunidade de conversar, mas vou falar com ele, pois fazemos isso todo dia. Se perguntarem com qual pessoa ele se comporta melhor, sou eu. Mas não existe repreensão. Vou repreendê-lo por quê? Já fiquei sabendo que ele deu a entender que não quis colocar dessa forma”, disse.

Tirone concluiu confirmando que o Palmeiras não deverá ter grandes nomes, principalmente por questões financeiras. O clube recebeu a lista do treinador com seis nomes, porém nenhum deles está avançando justamente por falta de recursos. “Vamos continuar trabalhando, mas o Palmeiras não é a Casa da Moeda e não tem dinheiro todo dia. As contas estão em dia e os salários estão certos. Assumimos o clube no ano passado com passivo e o Felipe sabe disso, nos ajudou muito em 2011, porque tocamos o clube com jogadores que nos tínhamos. Às vezes, ele também se sacrifica para não gastar dinheiro”, concluiu.

 

Comentários

comentários