A saída de José Carlos Brunoro é dada como certa dentro do Palmeiras. Com Paulo Nobre ou com Wlademir Pescarmona, candidatos na eleição de novembro, o diretor executivo deve encerrar a sua passagem pelo clube. Entre oposição e situação, um nome é certo para comandar o futebol: Rodrigo Caetano, atualmente diretor do Vasco da Gama, que disputa a segunda divisão.

O assunto, aliás, acabou virando uma polêmica. Para Pescarmona, a procura da atual gestão por Caetano aconteceu somente depois de vazar a informação de que seu grupo já tinha sentado para conversar com o profissional, o que tem irritado o conselheiro e os demais membros da chapa. Por meio da assessoria de imprensa, Nobre disse apenas que a discussão é tão ridícula que não merece resposta.

Interlocutores dos dois lados afirmam que o vascaíno já se reuniu com ambos os grupos e teria feito um acordo verbal para se mudar para São Paulo na próxima temporada, independentemente da situação do time carioca, que briga para subir de volta à elite. O seu contrato com a equipe de São Januário termina no fim desse ano, quando Roberto Dinamite entrega o mandato para o novo presidente – as eleições acontecem também no próximo mês.

Na noite da última segunda-feira, o conselho do Palmeiras aprovou os dois candidatos para as eleições, que acontecem no final de novembro. Luiz Carlos Granieri, que também queria concorrer ao posto, não conseguiu os votos necessários para passar do filtro. Essa será a primeira eleição direta do alviverde em sua história. Até por isso, as chapas não têm muita ideia do que pode acontecer.

rodrigocaetano_vasco_raphaelzarko_95

Fonte: ESPN

Comentários

comentários