Paulo Nobre completa nesta terça-feira 100 dias como presidente do Palmeiras. E a ação da qual o empresário mais diz se orgulhar é a política de redução de gastos no clube. Tanto que o próximo passo dessa estratégia já está definida. Após limpeza no quadro administrativo, nas categorias de base e no futebol profissional, chegou a vez dos esportes olímpicos sofrerem cortes.

Nobre já avisou aos dirigentes que vai extinguir o futebol de salão e o basquete do Palmeiras. A única solução apresentada aos responsáveis pelas modalidades para uma mudança.
Cálculo prévio do cartola indica uma economia mensal de R$ 200 mil com essa medida, o que representa mais de R$ 2 milhões ao ano.

“São 100 dias de muito trabalho, não só do presidente, mas sim de toda a diretoria que está imbuída da mesma filosofia. Estamos só trabalhando, e análise a gente deixa para a torcida. Nunca vamos nos nortear por lado emocional. Somos frios para dirigir o clube e por isso cortamos os gastos que não estão dentro de nossas condições”, afirmou Nobre ao UOL Esporte.

O Palmeiras acumula passivo superior a R$ 200 milhões e vai perder o seu patrocinador principal após o Campeonato Paulista. Com o cenário, o presidente sempre colocou a redução de custos como prioridade.

O time B custava cerca de R$ 800 mil mensais ao Palmeiras. O salário de Barcos, o maior do elenco, e dívidas com a LDU-EQU, pressionaram Nobre pela transferência. Além disso, demissões de funcionários do setor administrativo e aluguéis de dependências, tais como sala de troféu e academia de ginástica, não precisam ser mais utilizadas pela reabertura dos salões da sede social. A redução de custos foi cumprida.

Em campo, o Palmeiras de Paulo Nobre atravessou grande crise ao perder de 6 a 2 para o Mirassol. A atitude tomada de manutenção de Gilson Kleina fez o mandatário perder aliados no Conselho Deliberativo.

Nobre tem mais 20 meses de mandato. Até lá, independente dos resultados do time, o foco na redução de custos será mantido. “Iniciamos o trabalho com ênfase em buscar profissionais para começar a reverter a tendência de prejuízo todos os nesses e tentar planejar o futuro para que a gente consiga chegar no Palmeiras com cara de Palmeiras. Está em situação complicada, muitas dívidas e nossa missão é reverter o quadro. Vamos com isso até o fim”, avisou Nobre.

Fonte: UOL Esporte

Comentários

comentários