Em tempos recentes, o Palmeiras tem sido regularmente um dos clubes de maior sucesso do país. É um trajeto que começa desde 2013, com a conquista da Série B do Campeonato Brasileiro e culmina com o bi-campeonato da Série A em 2016 e 2018, incluindo ainda o título da Copa do Brasil em 2015 neste vitorioso percurso.

Mas em níveis estadual e continental, o Palmeiras não tem tido no campo a resposta esperada de um time com o seu tamanho e investimento. Foi amargo não conseguir quebrar os 10 anos de jejum de um título do Campeonato Paulista ano passado contra o Corinthians, no que seria a passada de tocha definitiva da grande força do Estado de São Paulo. Enquanto na Libertadores, o Verdão não conseguiu evitar o derby argentino Boca-River nas finais ao perder para os donos de La Bombonera nas semifinais do torneio.

Entretanto, 2019 é um novo ano com ânimos também renovados. Assim como o elenco do Palmeiras, já vitorioso, não perdeu nenhum dos jogadores que foram importantíssimos na conquista do Brasileirão no ano passado. Esse quiçá foi o maior feito do Palmeiras na janela de transferências, onde gastaram R$ 91,3 milhões – apenas R$ 500 mil a menos que o Flamengo.

Fonte: “Palmeiras Campeão Brasileiro de 2018 – Bruno Henrique – Troféu” por Leonef (CC BY-SA 4.0)
Porém, não é de se reduzir a importância da chegada de nomes como Mayke, ex-Cruzeiro, e Ricardo Goulart, emprestado pelo clube chinês Guangzhou Evergrande. Dois nomes que com certeza contribuirão muito nas missões do Palmeiras por títulos como o Campeonato Brasileiro e a Libertadores, com odds de 3.5 e 5.5, respectivamente, no dia 2 de abril na https://www.betfair.com/br.

É também de se destacar a manutenção da equipe técnica do Palmeiras. O ex-campeão mundial pela Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, voltou ao Brasil com um grande nível de desconfiança pairando sobre a sua cabeça graças à maior decepção do futebol nacional que ocorreu sob a sua tutela.

E Felipão, que já estava desempregado a meses antes de tomar o seu lugar no Palmeiras como técnico em sua terceira passagem pelo clube, fez seus críticos engolirem suas palavras. Entrando no lugar de Roger Machado, Scolari levou o Palmeiras a uma campanha invicta de 22 jogos, com 16 vitórias e 6 empates, rumo ao título brasileiro. As derrotas vieram somente na Libertadores, onde o Palmeiras chegou às semis.

Fonte: “Mancha Alviverde – Bandeirão – Allianz Parque” por Leonef (CC BY-SA 4.0)
Agora, as esperanças são de manter esse caminho vitorioso nas principais competições do ano. O Palmeiras tem elenco forte e numeroso o bastante para conseguir batalhar em três frentes – Copa do Brasil, Brasileirão e Libertadores – sem perder o fôlego.

Tal feito nunca será fácil, ainda mais em um calendário como o brasileiro que não dá sossego para times que chegam longe em competições como é o caso do Palmeiras em tempos recentes. Mas é para isso que o www.palmeiras.com.br/futebol/elenco serve. Enquanto alguns podem sentir que 33 jogadores em um elenco é sinal de que ele está inflado, e também que dificuldades poderão ser sentidas no manejo dessa gente toda ao longo da temporada, Felipão é um técnico com experiência de sobra para lidar com esse tipo de situação.

Logo, motivos para otimismo não faltam. Mesmo com o Flamengo tentando chegar ao nível do Palmeiras gastando rios de dinheiro para tal, falta ao time carioca a experiência que o Palmeiras tem na hora do “vamos ver”. E isso faz toda a diferença.